Agora nem nómada, nem emigrante.


quarta-feira, junho 29, 2005

Promessas...

Coisas que não digo, nem escrevo, porque não existem.
Então, tenho que filosofar acerca do que me dizem.
Afinal as promessas que nos fazem implicam a palavra "prometo" antes, assim como as juras têm que ser antecedidas da palavrinha "juro"?!
Não gosto de promessas.
O que nos dizem vale por si só. É o que acredito. Em quem acredito, vale! Em quem não acredito, nem com juras e promessas lá vão.
Acredito até que me "provem" o contrário.
Afinal os actos transparecem o resultado das palavras, ou desmentem muitas delas.

1 comentário:

Nuno Bento disse...

Eu prometo fazer um comentàrio!!...

;)

nb