Agora nem nómada, nem emigrante.


quarta-feira, fevereiro 17, 2010

Debate

Imagem daqui

Hoje, uma amiga enviou-me um link para eu ir ver, pois o meu blogue, segundo ela, aborda estes temas. Eu li tudinho e até comentei. É longo, mas lê-se bem, consoante o grau de interesse. Resolvi abrir este espaço para um debate.

Por que é que as mulheres normais estão sozinhas?


Ao que um homem, representante dos homens normais responde:

A culpa é vossa...



ACTUALIZAÇÕES:

Boa Noite!

O debate já começou e, para poderem ler tudo mais atentamente, vou actualizando aqui as ideias descritas na caixa de comentários. Desde já, agradeço as vossas intervenções. Estou sempre a aprender convosco.


EU SOU EU:
Desculpa...mas tenho que concordar com a resposta que um homem dá... " A CULPA É VOSSA"... E realmente é (claro que não toda, mas grande parte, sim!!!)...então vejamos... vocês (mulheres) estão em vantagem numérica...diz-se que já existem 9 ou 10 mulheres por cada homem...e que fazem vocês quando encontram alguém que vos agrade...simplesmente cenas de ciúmes...má disposição...maioritáriamente fazem-se de dificeis ao mais alto nível...arrelias por tudo e por nada...ou seja o possível e impossivel para correr connosco...depois...temos o antes de o ter... é caracteristicas a torto e a direito...têm de ser alto\moreno\bom cabelo\boa pele\trabalhador\romântico\sensivel\atencioso\etc...

Problema principal e aqui a culpa também é nossa... já ninguém quer realmente conhecer uma pessoa... exige-se cada vez menos o conhecimento da outra pessoa...acima de tudo e em concordância e igualdade com o AMOR...é preciso existir AMIZADE... e para tal é preciso deixar-se e querer conhecer a pessoa...

Fevereiro 17, 2010 1:18 PM


Eli: Será que a vantagem numérica é uma desculpa?!

Gravepisser:
A normalidade, como diz o outro, não passa de uma "ilusão, imbecil e estéril"...

O que define "normal" ou "anormal"?

Serei eu normal, neste mundo de anormais? Ou estarão (quase) todos certos, e o anormal serei eu?

Difícil de analisar... :)
(...)
Fevereiro 17, 2010 1:20 PM


Eli: Aqui, a normalidade em itálico refere-se a pessoas cuja vida tem algum sucesso, que são inteligentes e até sabem conversar... Óbvio que não podemos nem queremos catalogar pessoas. Aliás, este debate não exclui ninguém. Quando gostamos de um homem ou de uma mulher, não estamos a ver se é normal.


EU SOU EU:
HÁ E POR VEZES É PRECISO OLHAR PARA ALÉM DO ÓBVIO...DO CABELO...DO OLHAR...DO FISICO... EXISTEM ALGUNS HOMENS...QUE EXTERIORMENTE ATÉ NÃO SOMOS (SÃO) NADA DE ESPECIAL...MAS INTERIORMENTE TEMOS A CAPACIDADE DE VOS AMAR...E GOSTAR DE VCS TAL QUAL SÃO...DE VOS FAZER SORRIR...SENTIR BEM...COM VOCÊS MESMAS...E É ESSE MESMO O NOSSO OBJECTIVO...QUE VOCÊS SE SINTAM BEM...E DEPOIS NÃO SOMOS "APRECIADOS"...DESEJADOS...PORQUE NÃO SOMOS CLOONEYS...BRAD PITTS..JONNHY DEPPS...E WOLVERINES (HUGH JACKMAN)...O EXTERIOR MAIS DIA MENOS DIA DESVANECE...E É PRECISO ALGUÉM QUE FIQUE COM VOCÊS E CONOSCO TAMBÉM CLARO QUE NOS APRECIE PELO QUE SOMOS...NÃO PELO QUE APARENTAMOS...

Fevereiro 17, 2010 1:25 PM

Eli: As pessoas que são aparentemente mais belas (pelo conceito estético da nossa sociedade) nem sempre são as mais felizes. Quando um ser humano se aproxima de um semelhante e tem interesse em conhecê-lo, a primeira coisa com que se depara é com o aspecto físico (salvo excepções via net, por exemplo) e é óbvio que repara nisso. No entanto, só conhecendo essa pessoa é que vai amá-la ou não. Já conheci alguns homens que aparentemente situavam-se no patamar do dito atraente, mas que não sabiam conversar. É claro que poderão encontrar alguém que fale a mesma língua. Há sempre um ou outro pormenor físico que contam. Porém, não há nada que bata uma pessoa que possua interiormente certas características. Não, não estou a falar que tem que ter isto ou aquilo. Afinal, cada um sabe o que lhe agrada mais. Tenho umas amigas que não gostam daquele mel, o tal romantismo. Outras gostam muito. Outras depende. Não há receitas. Há a capacidade de articular a sua vida com a do outro e muito muito mais...


em_segredo:
Seria muito mais fácil debater o (assustador) estado da Nação, o défice e o caso 'face oculta', do que debater o(s) motivo(s) pelos quais alguém fica sozinho, independentemente de ser homem ou mulher.

Muitos dos motivos que levam a estar sozinha/o são os mesmos, mesmo tendo em conta a complexidade e diferenças tão caracteristicas de cada um dos sexos.

É-me dificil perceber o motivo para estarem sozinhas algumas das mulheres que tenho o prazer de conhecer, mas, nos dias em que me tenho em muito boa conta, é-me igualmente dificil perceber porque estou eu também sozinho, assim como muitos outros homens.

Um dos ''males'' comuns a ambos os géneros, é a excessiva tendência a acreditar em contos de fadas, princesas e pincipes perfeitos, finais felizes,..., o que faz com que a fasquia, logo desde o 1º momento em que se conhece alguém do sexo oposto, esteja muito elevada....

Uma outra causa, tal como diz o artigo, é a proporção existente entre homens e mulheres. Diz o povo , que a cada homem 'pertencem' 7 mulheres, mas já me convenci de que isso é mentira. Com tanto homem gay por esse mundinho fora eu já devia ter 'direito' a mais de 21 mulheres, mas continuo só.

(Será que é devido a um grande número de lésbicas?)

Há mil e um motivos!!

Não sei se contribuí para o debate, mas hei-de voltar para ver se chegam a conclusões realistas.

:)

Fevereiro 17, 2010 3:00 PM

Eli: Talvez não tenhamos direito a um número de pessoas para escolher. Se calhar nem existem explicações lógicas neste debate. No entanto, estar acompanhado também não é sinónimo de ser feliz! Concordo contigo quando as pessoas elevam demasiado a fasquia quando conhecem alguém novo. Pensam logo que não se encaixam no tal padrão, no tal sonho que pensam realizar a todo o custo. Óbvio que é necessário fazer surgir novas oportunidades de conhecer pessoas. Sempre disse que nada cai do céu.



Brown Eyes:
Porque uma mulher está sozinha? Eu não estou sozinha porque encontrei, finalmente, o Homem que me preenche, totalmente. Se não o tivesse encontrado estaria, por opção. Sou uma pessoa que consigo sentir-me feliz só, prefiro só que mal acompanhada. Não necessito de ter alguém para me sentir mulher. O problema delas é, sem dúvida, não se amarem o suficiente e não serem exigentes, depois sofrem. Não há pessoas normais ou anormais, há pessoas que encaixam uma na outra e pessoas que não encaixam. Forçar situações só estraga relacionamentos. Se não nos amarmos como pode alguém amar-nos? Pois por isso elas estão sozinhas. Muitas delas não se valorizam, o que deviam fazer. Ter alguém é para elas tão importante que acabam com valor zero. A culpa acaba mesmo por ser delas. É importante saber-se o que se quer da vida e elas não sabem. Beijinhos

Fevereiro 19, 2010 12:35 AM

Eli: Concordo com aquela tão importante valorização pessoal. Eu sei que aos olhos da sociedade estou longe dos padrões (físicos). Porém, ainda há muita gente que olha para além do óbvio. Acho que precisamos de gostar do que vemos no outro, mas o nosso leque não precisa de ser reduzido. Disseste algo digno de registo: Ter alguém é para elas tão importante que acabam com valor zero. Fico a pensar nesta frase. Gosto da veracidade implícita.


M:

Vi o teu link na Activa e resolvi dar cá um pulinho porque fiquei curioso. Eu sou o "tipo" que escreveu o testamento com o título "Estão sozinhas...A culpa é vossa", bem como a resposta ao P - se puderes vai ler - é mais um testamento, mas dá mais uma achega :). Na minha opinião sincera acho que se anda a empolar demasiado estas questões, ninguém pára para pensar e olhar à volta. Ao contrário do que diz o costume e a sociedade, ninguem morre se numa altura da vida não estiver com alguém. Isto não é uma "sangria desatada".
Sempre que posso ponho-me a observar as pessoas e só vejo gente com os olhos enterrados no chão. Parece tudo corcunda. Nunca vi tanto Quasimodo a andar pelas ruas. Anda tudo enfiado nas consolas portáteis, nos telemóveis, PCs, etc. Como é que querem encontrar alguém se não prestam atenção ao que as rodeia? Ficar em casa colado ao PC não ajuda e certamente que não é nos bares que resolvemos o problema. Ali as mulheres são bombardeadas com tantos "engates" que seria um milagre alguém encontrar a pessoa certa. É como só jogar no Euromilhões nos dias de Jackpot e querer ganhar o 1º prémio. Eu, se fosse mulher, cada vez que entrasse num bar benzia-me e pedia a protecção a tudo o que é santo e anjinho, para ver se daquela vez não me saíam só aliens, camelos, abutres e Zézés camarinhas na rifa. Quem leva com uns 10 tipos que não interessam nem ao Pai Natal (que são uma cópia uns dos outros, entram todos com as mesmas "bocas", têm todos a mesma linguagem corporal, parecem Lemmings) noite após noite, quando chega o 11, que até poderia ser o homem da sua vida (do ponto de vista feminino), nem dá hipótese, corre logo com ele (com toda a razão). Além disso há outra situação: Quanto mais falo com pessoas que conheço (solteiras e comprometidas) mais vejo que anda tudo à procura do príncipe ou da princesa perfeitas que vieram ao mundo só para ela ou ele. Quere-se as coisas sem ter trabalho, mas esquecem-se que isso não existe, tal como a perfeição. As mulheres mais interessantes que conheci, não eram perfeitas, deram um trabalhão que nem te conto...mas valeu a pena. Eu também não sou perfeito e espero nunca vir a ser, por isso porque iria procurar apenas alguém assim? Não é nas imperfeições que por vezes reside o encanto do que é único? Querer uma mulher/homem perfeita/o para provar que sou o/a melhor com um "pão"/"boazona" agarrada a mim? Quem pensa assim vai perder muito da vida e acabará por acordar um dia e ver que tudo se foi sem dar por isso (ainda bem que a masturbação vai aliviando a tensão, senão explodiam).

As pessoas andam solitárias porque querem, não fazem verdadeiramente nada para saír dessa situação. Há tantas mulheres a queixarem-se que ninguém lhes dá valor, que são tratadas como se fossem umas "quaisquer" e muitas têm razão. Sim, elas são demasiado exigentes, é verdade, mas muitas vezes é uma defesa, para filtrar o que é bom do que não presta. Os casados e comprometidos são o "alvo" preferencial porque vêm certificados como estão em condições para consumo sem riscos para a saúde, são "husband material" (ignorando-se que, por vezes são piores do que o "Deus me livre", mas ninguém disse que as mulheres são razoáveis, afinal menos 20 gramas têm de fazer a diferença). Por vezes basta estar ali e ouvir o que têm para dizer. (cont.)

Fevereiro 19, 2010 10:35 PM

Ninguém se quer dar ao trabalho de ir "à luta", de parar para pensar. Conheço tipos (e já fui um deles) que descobrem uma maneira fácil de "engatar" de um amigo, vestem-lhe a pele e entram a matar na 1ª oportunidade, depois admiram-se que não funciona, que elas os ignoram, pudera estão a tentar ser o que não são (o mesmo vale para as mulheres). Anda tudo com truques e jogos, depois queixam-se. Que tal perguntarem a uma mulher/homem o que é que ela/ele procura realmente no outro? Irão surpreender-se com a simplicidade do que é "desejado". Seria interessante debater isso um dia, mas sem tabus ou fingimentos, dizer o que realmente se quer, por muito piroso ou irracional que seja.

Os melhores conselhos que já tive sobre a relação com as mulheres são: "Honestamente, tu ficarias com alguém como tu?" e "Desde quando é que o que vale a pena é fácil?"

E por aqui me fico porque o assunto dava para nunca mais terminar...:)

Fiquem bem,

M
Fevereiro 19, 2010 10:36 PM

Eli: Já tinha ido ler a resposta ao P. Ainda bem que a minha amiga me sugeriu aquele texto, pois assim deu-me para reflectir um pouco. Confesso que até agora não fiquei a saber muito mais do que já sabia, mas gosto de pensar nestas coisas e sentir que a sua pertinência não me abrange apenas a mim. Tens razão. Não se morre por se estar sozinho e é tão bom! Quanto aos engates, nem me preocupo por não me aperceber praticamente da sua existência. Eu gosto de situações originais. Bem, mas não estou aqui para falar de mim, se bem isso está inerente na minha escrita. Quanto à perfeição, sinceramente, não mete piada nenhuma! E... tu ficarias com alguém como tu é uma valente forma de consciencialização entre outras reflexões até chegar ao amor-próprio. Já pensaram nisso?


Nuno:
Não me parece que o desequilíbrio que há entre o número de homens e o número de mulheres seja um motivo válido para que isso assim seja. Não tenho certezas, aliás, se esse desequilíbrio (9 para 1) é assim tão grande. Eu desconfio que não.

Acho que a principal razão se deve àquilo que esperamos do outro. Tal como em muitas outras coisas, existem requisitos que devem ser cumpridos para que a coisa se dê.

Fevereiro 20, 2010 4:55 PM


Eli: Considero pertinente que não se aplique uma definição de normalidade. No entanto, apelámos a uma forma de percebermos o que se passa com as pessoas que trabalham, estudam (ou têm qualquer outra actividade), que são interessantes (seja por qual perspectiva for) e até independentes... Valerá a pena procurar?! E esperar?! Nada cai do céu.

Muito obrigada pela vossa participação. Gostei muito.

Eli

:) 

9 comentários:

EU SOU EU disse...

Desculpa...mas tenho que concordar com a resposta que um homem dá... " A CULPA É VOSSA"... E realmente é (claro que não toda, mas grande parte, sim!!!)...então vejamos... vocês (mulheres) estão em vantagem numérica...diz-se que já existem 9 ou 10 mulheres por cada homem...e que fazem vocês quando encontram alguém que vos agrade...simplesmente cenas de ciúmes...má disposição...maioritáriamente fazem-se de dificeis ao mais alto nível...arrelias por tudo e por nada...ou seja o possível e impossivel para correr connosco...depois...temos o antes de o ter... é caracteristicas a torto e a direito...têm de ser alto\moreno\bom cabelo\boa pele\trabalhador\romântico\sensivel\atencioso\etc...
Problema principal e aqui a culpa também é nossa... já ninguém quer realmente conhecer uma pessoa... exige-se cada vez menos o conhecimento da outra pessoa...acima de tudo e em concordância e igualdade com o AMOR...é preciso existir AMIZADE... e para tal é preciso deixar-se e querer conhecer a pessoa...

Gravepisser disse...

A normalidade, como diz o outro, não passa de uma "ilusão, imbecil e estéril"...
O que define "normal" ou "anormal"?
Serei eu normal, neste mundo de anormais? Ou estarão (quase) todos certos, e o anormal serei eu?
Difícil de analisar... :)

Um beijo e obrigado pela visita. :)

EU SOU EU disse...

HÁ E POR VEZES É PRECISO OLHAR PARA ALÉM DO ÓBVIO...DO CABELO...DO OLHAR...DO FISICO... EXISTEM ALGUNS HOMENS...QUE EXTERIORMENTE ATÉ NÃO SOMOS (SÃO) NADA DE ESPECIAL...MAS INTERIORMENTE TEMOS A CAPACIDADE DE VOS AMAR...E GOSTAR DE VCS TAL QUAL SÃO...DE VOS FAZER SORRIR...SENTIR BEM...COM VOCÊS MESMAS...E É ESSE MESMO O NOSSO OBJECTIVO...QUE VOCÊS SE SINTAM BEM...E DEPOIS NÃO SOMOS "APRECIADOS"...DESEJADOS...PORQUE NÃO SOMOS CLOONEYS...BRAD PITTS..JONNHY DEPPS...E WOLVERINES (HUGH JACKMAN)...O EXTERIOR MAIS DIA MENOS DIA DESVANECE...E É PRECISO ALGUÉM QUE FIQUE COM VOCÊS E CONOSCO TAMBÉM CLARO QUE NOS APRECIE PELO QUE SOMOS...NÃO PELO QUE APARENTAMOS...

Anónimo disse...

Seria muito mais fácil debater o (assustador) estado da Nação, o défice e o caso 'face oculta', do que debater o(s) motivo(s) pelos quais alguém fica sozinho, independentemente de ser homem ou mulher.
Muitos dos motivos que levam a estar sozinha/o são os mesmos, mesmo tendo em conta a complexidade e diferenças tão caracteristicas de cada um dos sexos.
É-me dificil perceber o motivo para estarem sozinhas algumas das mulheres que tenho o prazer de conhecer, mas, nos dias em que me tenho em muito boa conta, é-me igualmente dificil perceber porque estou eu também sozinho, assim como muitos outros homens.
Um dos ''males'' comuns a ambos os géneros, é a excessiva tendência a acreditar em contos de fadas, princesas e pincipes perfeitos, finais felizes,..., o que faz com que a fasquia, logo desde o 1º momento em que se conhece alguém do sexo oposto, esteja muito elevada....
Uma outra causa, tal como diz o artigo, é a proporção existente entre homens e mulheres. Diz o povo , que a cada homem 'pertencem' 7 mulheres, mas já me convenci de que isso é mentira. Com tanto homem gay por esse mundinho fora eu já devia ter 'direito' a mais de 21 mulheres, mas continuo só.
(Será que é devido a um grande número de lésbicas?)
Há mil e um motivos!!
Não sei se contribuí para o debate, mas hei-de voltar para ver se chegam a conclusões realistas.
:)

em_segredo

Brown Eyes disse...

Porque uma mulher está sozinha? Eu não estou sozinha porque encontrei, finalmente, o Homem que me preenche, totalmente. Se não o tivesse encontrado estaria, por opção. Sou uma pessoa que consigo sentir-me feliz só, prefiro só que mal acompanhada. Não necessito de ter alguém para me sentir mulher. O problema delas é, sem dúvida, não se amarem o suficiente e não serem exigentes, depois sofrem. Não há pessoas normais ou anormais, há pessoas que encaixam uma na outra e pessoas que não encaixam. Forçar situações só estraga relacionamentos. Se não nos amarmos como pode alguém amar-nos? Pois por isso elas estão sozinhas. Muitas delas não se valorizam, o que deviam fazer. Ter alguém é para elas tão importante que acabam com valor zero. A culpa acaba mesmo por ser delas. É importante saber-se o que se quer da vida e elas não sabem. Beijinhos

Anónimo disse...

Vi o teu link na Activa e resolvi dar cá um pulinho porque fiquei curioso. Eu sou o "tipo" que escreveu o testamento com o título "Estão sozinhas...A culpa é vossa", bem como a resposta ao P - se puderes vai ler - é mais um testamento, mas dá mais uma achega :). Na minha opinião sincera acho que se anda a empolar demasiado estas questões, ninguém pára para pensar e olhar à volta. Ao contrário do que diz o costume e a sociedade, ninguem morre se numa altura da vida não estiver com alguém. Isto não é uma "sangria desatada".

Sempre que posso ponho-me a observar as pessoas e só vejo gente com os olhos enterrados no chão. Parece tudo corcunda. Nunca vi tanto Quasimodo a andar pelas ruas. Anda tudo enfiado nas consolas portáteis, nos telemóveis, PCs, etc. Como é que querem encontrar alguém se não prestam atenção ao que as rodeia? Ficar em casa colado ao PC não ajuda e certamente que não é nos bares que resolvemos o problema. Ali as mulheres são bombardeadas com tantos "engates" que seria um milagre alguém encontrar a pessoa certa. É como só jogar no Euromilhões nos dias de Jackpot e querer ganhar o 1º prémio. Eu, se fosse mulher, cada vez que entrasse num bar benzia-me e pedia a protecção a tudo o que é santo e anjinho, para ver se daquela vez não me saíam só aliens, camelos, abutres e Zézés camarinhas na rifa. Quem leva com uns 10 tipos que não interessam nem ao Pai Natal (que são uma cópia uns dos outros, entram todos com as mesmas "bocas", têm todos a mesma linguagem corporal, parecem Lemmings) noite após noite, quando chega o 11, que até poderia ser o homem da sua vida (do ponto de vista feminino), nem dá hipótese, corre logo com ele (com toda a razão). Além disso há outra situação: Quanto mais falo com pessoas que conheço (solteiras e comprometidas) mais vejo que anda tudo à procura do príncipe ou da princesa perfeitas que vieram ao mundo só para ela ou ele. Quere-se as coisas sem ter trabalho, mas esquecem-se que isso não existe, tal como a perfeição. As mulheres mais interessantes que conheci, não eram perfeitas, deram um trabalhão que nem te conto...mas valeu a pena. Eu também não sou perfeito e espero nunca vir a ser, por isso porque iria procurar apenas alguém assim? Não é nas imperfeições que por vezes reside o encanto do que é único? Querer uma mulher/homem perfeita/o para provar que sou o/a melhor com um "pão"/"boazona" agarrada a mim? Quem pensa assim vai perder muito da vida e acabará por acordar um dia e ver que tudo se foi sem dar por isso (ainda bem que a masturbação vai aliviando a tensão, senão explodiam).

As pessoas andam solitárias porque querem, não fazem verdadeiramente nada para saír dessa situação. Há tantas mulheres a queixarem-se que ninguém lhes dá valor, que são tratadas como se fossem umas "quaisquer" e muitas têm razão. Sim, elas são demasiado exigentes, é verdade, mas muitas vezes é uma defesa, para filtrar o que é bom do que não presta. Os casados e comprometidos são o "alvo" preferencial porque vêm certificados como estão em condições para consumo sem riscos para a saúde, são "husband material" (ignorando-se que, por vezes são piores do que o "Deus me livre", mas ninguém disse que as mulheres são razoáveis, afinal menos 20 gramas têm de fazer a diferença). Por vezes basta estar ali e ouvir o que têm para dizer. (cont.)

Anónimo disse...

Ninguém se quer dar ao trabalho de ir "à luta", de parar para pensar. Conheço tipos (e já fui um deles) que descobrem uma maneira fácil de "engatar" de um amigo, vestem-lhe a pele e entram a matar na 1ª oportunidade, depois admiram-se que não funciona, que elas os ignoram, pudera estão a tentar ser o que não são (o mesmo vale para as mulheres). Anda tudo com truques e jogos, depois queixam-se. Que tal perguntarem a uma mulher/homem o que é que ela/ele procura realmente no outro? Irão surpreender-se com a simplicidade do que é "desejado". Seria interessante debater isso um dia, mas sem tabus ou fingimentos, dizer o que realmente se quer, por muito piroso ou irracional que seja.

Os melhores conselhos que já tive sobre a relação com as mulheres são: "Honestamente, tu ficarias com alguém como tu?" e "Desde quando é que o que vale a pena é fácil?"

E por aqui me fico porque o assunto dava para nunca mais terminar...:)

Fiquem bem,
M

Nuno disse...

Não me parece que o desequilíbrio que há entre o número de homens e o número de mulheres seja um motivo válido para que isso assim seja. Não tenho certezas, aliás, se esse desequilíbrio (9 para 1) é assim tão grande. Eu desconfio que não.

Acho que a principal razão se deve àquilo que esperamos do outro. Tal como em muitas outras coisas, existem requisitos que devem ser cumpridos para que a coisa se dê.

FAQ(er) disse...

Homem encontra mulher, mulher encontra homem, homem encontra homem, mulher encontra mulher... cada um deixa-se de merdas e talvez (talvez) se entendam.