Agora nem nómada, nem emigrante.


quarta-feira, maio 12, 2010

I miss you so much...



Voltou aquela vontade de chorar e este lugar ficaria incompleto se eu pelo menos não tentasse enviar um sorriso além. Aquele nó que finjo não existir. Esquecer e lembrar são antagónicos, mas só sobrevivo se optar pelos dois... Esta forma verbal que me impele diariamente. A guitarra acompanha-me. Deixar-me-á?! As mãos fraquejam-me...

Eli

9 comentários:

izzie disse...

:)

O meu além, para ti.

Beijinho,

Anónimo disse...

É nó de marinheiro, daqueles dificeis de fazer e igualmente dificeis de desfazer?
Faz por desfazer esse nó.Se te faltar comprimento de unhas para o desatar , desata-o com unhas e dentes , com força e com garra.
Boa sorte.
:))


em_segredo

Celisol disse...

Nunca nos poderíamos lembrar se não nos tivessemos esquecido.
Um beijo d'aqui.

Poetic GIRL disse...

Um abraço para ti apertadinho, bjs

Daniel Silva (Lobinho) disse...

"Esquecer e lembrar são antagónicos, mas só sobrevivo se optar pelos dois..."

É como dizes!. Bebo da dor com a mesma intensidade do que tu embora a dor nao seja mensuravel. Perdi o meu pai ha 20 dias e ainda nao interiorizei/habitueio/adaptei a isso. Perdi a minha mae ha 4 anos e o mesmo. Sei do que falas porque tam,bém sei do que fallo. E dói... E há-de ser a dor a aplacar a propria morte...

Olga disse...

Existe muitas pessoas tristes e deprimidas, penso que é o "raio" deste inverno longo. Hoje li uma mensagem espectacular da Gisley, eu confesso que não sou muito religiosa, deixei de acreditar na igreja, mas acredito em Deus e na natureza. Beijinhos.

ana disse...

beijo doce de paz, e carinho, e conforto... a minha mãe está na tua :)

Fragmentos Culturais disse...

... é preciso sobreviver com 'lembrar' porque 'esquecer', impossível!
A mente nada esquece, muito menos o 'coração'...

Beijinho grande,

Eli disse...

izzie, em_segredo, Celisol, Poetic GIRL, Daniel Silva (Lobinho), Olga, ana, Fragmentos Culturais...

... Obrigada.