Agora nem nómada, nem emigrante.


sexta-feira, abril 15, 2011

Etapas

Imagem de Eli

Voltei a colocar a música, uma vez mais, uma vez mais, repetindo como se não houvesse exaustão.

(Fitas-me.)

Olho de soslaio para uma recordação solitária e viro-lhe a cara, porque não preciso dela. Tenho-me em olhos escuros... quase sombrios. Vejo-me, sopro-me, abraço-me, porque me deixo ser quem sou, sem receios. Passeio despida de preconceitos, ambivalente, persistente. Um passo mais, uma caminhada... Olhos postos no horizonte. Sobrevivo àquela mágoa que me impediu de viver por momentos. Meu coração voltou a bater. Clique. Não sei explicar, mas existe. Existes.

São as cores da música que me inspiram, me trazem paz e me elevam a Alma. Tenho. Sou.

Um demónio aproxima a sua voz do meu ouvido cantando-me as letras, aquelas... e eu teclo errante uma pele tacteada... ensino o que não sei e digo o que não quero. Confusão. Paixão... E... Suspiros entre mágoa. Sensibilidade, aprendizagem... Quão mortal sou!

11 comentários:

Gonçalo disse...

A imagem traz-me boas recordações. Para quando urina em vez de gasóleo?

:P

Beijinhos e um miminho bom *;)

Sonhadora disse...

Minha querida

Há momentos em que nos queremos apenas abraçarmo-nos e ficarmos assim...nuas...tão carne, adorei e deixo um beijinho.

Sonhadora

mfc disse...

E pensa no quanto é bom ser-se mortal!
Um texto muito bom.

Eli disse...

Gonçalo

Se fosse assim, as casas de banho serviriam de depósitos... (prefiro não escrever o resto).

(lol)

:)



Sonhadora

Digamos que a melhor aprendizagem é sabermos que todos os momentos existem. É preciso é saboreá-los com verdadeiro prazer.

:)


mfc

Bom... sim... não sei ser outra coisa.

Obrigada.

:)

Sus disse...

Eli,
Quão mortal nós somos, e quão frágil são as emoções que por nós passam, e não as conseguimos agarrar. Belo momento calmo.

Beijos e bom fim de semana

Rafeiro Perfumado disse...

As cores da música e os sons do arco-íris, são altamente inspiradores...

Numenor disse...

Humana. E (i)mortal.

Daniel Aladiah disse...

Querida Eli
E nessa mortalidade potencial, sentes a vida arfando, no contacto dos sentidos com a possessão do amor...
Um beijo
Daniel

Nilson Barcelli disse...

Imagina se não fosses mortal... como seriam os teus textos, quando os que agora fazes já são excelente?
Gostei imenso, como é óbvio.
Eli, boa Páscoa.
Um beijo.

Nilson Barcelli disse...

Imagina se não fosses mortal... como seriam os teus textos, quando os que agora fazes já são excelente?
Gostei imenso, como é óbvio.
Eli, boa Páscoa.
Um beijo.

Eli disse...

Sus

Mesmo aqueles que demonstram uma grande força interior, comovem-se de emoção consoante a sensibilidade.

:)


Rafeiro Perfumado

Para quem conseguir ver de olhos fechados.

:)


Numenor

Tão humana quão mulher.

:))


Daniel Aladiah

E insatisfeita...

:)


Nilson Barcelli

Obrigada. Quase corando...

:)


Elisabete Lira

Obrigada. Boa noite.

:)