Agora nem nómada, nem emigrante.


sexta-feira, junho 08, 2012

Por ter uma veia

Final do dia sem luz, sem imagens, sem. E eu sou só eu sem a solidão que há muito tempo não me aparece, nem estou saudosa dela, ou ela de mim. Sim, porque eu sei! Entretanto, empilham-se coisas no saco desigual, enquanto me perco nos meandros da rede. E... nada de novo... até que me lembro que, hoje aconteceu algo inesperado: alguém que não me conhece, que apenas lida comigo quando calha sempre por e com cortesia, não sei bem como, entregou-me os seus poemas para eu ler. Quando eu dei conta, já estavam na minha pen. Coisa estranha. Não sei explicar bem como é que aconteceu. Mesmo! No entanto, acho que ando a espalhar por aí sem reservas, para quem quiser, que escrevo, que tenho um blogue e, estou a dar conta, finalmente, ao fim de sete anos, que algumas pessoas querem saber mesmo qual é, sem ser um favor de "ah, diz lá, pode ser que tenha tempo...", coisa que sempre detestei. Aliás, foi por isso que raramente disse que tinha um blogue. Longe de mim que seja um frete lerem aquilo que escrevo. Sinceramente, eu gosto e acho muito engraçado voltar a ler mais tarde, uns dias, meses ou anos... porque fico-me sempre a pensar como é que aquilo me saiu... ou de onde veio mesmo. É inexplicável. Como eu costumo dizer a um ou dois amigos "Eu tenho uma veia".

Então, vou ali ler os poemas e já venho.

Ah... e eu acho que nem mereci uma confiança destas. Mas, depois de lhe contar - em menos de cinco minutos - este meu lado... ganhei este prémio.


Eli

:)

12 comentários:

Émolas disse...

É esta frontalidade que te torna especial :)quem "fala" assim não é gago. Somos do Norte CARAGO ;)Bjinho

S* disse...

Eu gosto de escrever de forma anónima... :) por isso evito divulgar o meu blogue. Revela demasiado de mim.

James Dillon disse...

Eu gosto de visitas com significado,


cumprimentos,
JD



Post Scriptum, não resisto a comentar a imagem visto que é ou aparenta, em extraordinária coincidência, ser um dos meus "animes" favoritos, Rurouni Kenshin, e como ele ficou com aquele cicatriz?, é uma história de amor bela colocada no meio do Tokugawa e no após na era Meiji,


cumprimentos,
JD

Eli disse...

Émolas

Grande surpresa ter teus passos por cá, tal como saboreio a memória desde dia. Obrigada pelo que escreveste e por tudo o resto, que não é nada pouco.

:)

Eli disse...

S*

Para mim, há sempre uma tal linha que separa. Eu tenho que sentir que tenho o controle. Enquanto for assim, oscilo entre contar ou não aquilo que sinto vontade de escrever. Por isso é que não sou explícita, como seria noutro lugar onde não soubesse quem lê! Quando publicamos algo, torna-se público, seja onde for.

:)

Eli disse...

James Dillon

As visitas têm significado. Por que pensaria que não?!

:S

Sobre o P.S., tenho a dizer que, sendo inculta, desconheço a história e que escolhi esta imagem por aí...

:)

James Dillon disse...

"As visitas têm significado. Por que pensaria que não?!

:S",

Também como já foi dito não revelo o blogue pelo círculo onde ando, porquê?, seria estranho criar um sentimento de obrigação na visita e no comentário,
- eu pago-te a cerveja, olha tenho um blogue dá lá um salto,
se isto não é coerção...,

daí prefiro as visitas incautas, ou incautas ó silenciosas, porque aquelas que conscientemente ou subconscientemente seguiram um compasso para encontrar meu bom porto não são justas, puras,

faz sentido?,

cumprimentos,
JD

James Dillon disse...

P.s.,

faz todo o sentido não saberes o que a foto me lembra nem estou certo de que é o mesmo mas aquela cicatriz...,

eu sei-o mas eu tenho gostos peculiares, infantis diria se estivesse de mau humor e não fosse domingo,

todavia aqui podes encontrar uma ideia do que referia ao descrever a imagem, não te o imponho simplesmente digo se estiveres curiosa,

http://en.wikipedia.org/wiki/Rurouni_Kenshin


cumprimentos,
JD

Eli disse...

James Dillon

Faz. Sentido, faz. Aliás, nunca pensei que fosse uma obrigação vir aqui. Mas, mesmo que eu dissesse "olha, vai lá que eu pago uma cerveja", não resultaria, pelo menos com os meus amigos, que são tão ou mais teimosos que eu.

P.S. Fui ver o link e, sabes, aquilo estava em inglês...

James Dillon disse...

Infelizmente a Wikipédia em português ainda é mais coxa que em outras línguas,

:)

Eli disse...

James

Seja! Mas, ando na fase complicada do trabalho e agora não tenho tempo/disponibilidade/capacidade para ler ainda mais ou inteirar-me. Desculpa. No entanto, oportunidades surgirão no decorrer do tempo.

:)

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.