Agora nem nómada, nem emigrante.


segunda-feira, dezembro 11, 2017

Poema facilitado sobre esquecer

Porque te quero sem te querer comigo,
porque me instalou no olhar uma esperança,
Sem sequer vir quem quer ver

Quase dançamos, sabes?!
Não foi um problema meu de coordenação
Mas uma morte ressuscitada
De um passado coração
Que já não escrevia nada

E quando lia um poema musical
Sem a minha ortografia,
Esqueci o que fora o mal
De em tantas voltas sonhar...

Atirei-me à inerte pornografia
De te esquecer sem te amar.

Eli

1 comentário:

Miguel disse...

Sensivel e misteriosamente agradável como sempre.