Agora nem nómada, nem emigrante.


segunda-feira, maio 08, 2006

Queres?




Eu queria que esperasses por mim
Ansiosamente
Com quem conta os minutos
De um relógio teimoso

Eu queria que sentisses na barriga
Esta impressão de querer
Subtilmente
Passar os dedos pela pele...

Eu queria ouvir passos
E ao virar da esquina
Ver-te a ti
E não à imaginação

... dos teus olhos.

Quero que as tabelas das possibilidades
Não se rejam pela maltratada razão

Quero que gráficos de barras
Sejam baixos em estatísticas de desilusão

Às vezes queria que apenas me fosse gritado um “não”
Em vez de sempre mo sussurrarem
Sem saber ou não...

Mas sei.


23:19 Açores
Eli
:)
P.S. Fotografia por Eli.

56 comentários:

GNM disse...

Está tão tão tão lindo...
Se soubesses como te sinto!

Mas afinal o que é a distância?
Nada!

Quem te disse que não se sentem
as tuas mãos?...

miosotis disse...

Verdade.. quem te disse que ñ podes ser sentida mm à distância?!!

Já pensaste em publicar tua poesia?
É que escreves mt bem...

Semana feliz!

bjs

Dark-me disse...

A foto está linda e o texto está demais :)
Um jinho

Musician disse...

Olha, este poema adapta-se muito bem a mim! :)
Esta lindo!
Gostei muito da fotografia ;)

Beijinho*

dark disse...

gostei dos teus poemas.
E espero que o que desejas e expressas se concretize.
Hoje também pus um poema.

Nilson Barcelli disse...

Li os poemas disponíveis na página principal (não li mais porque não tenho tempo).
Cantas de um modo excepcional o amor. Em poemas bem construídos, com musicalidade e imagens inteligentes.
Parabéns, escreves muito bem.
Sempre que possa virei cá e criarei um link para não me perder-...
Beijos e boa semana.

Nilson Barcelli disse...

Esqueci-me...
Obrigado pela tua visita e comentário no meu blogue. Volta sempre.

Sea disse...

E de tanto querer, alguma coisa há-de nascer. Tu sabes. Saberás as sensações que te invadem. O que tanto queres, mas sabes.
Um beijo :)

B r Ï z a disse...

hello eli...i will write this in english..it has nothing to do with the awesome poem you wrote, but the image, my Lord, brought back such childhood memories of running in the park playing hide and seek....thank you for bring back such wonderful times through your beautiful image...jinhos :)

Moranguita disse...

hmmmmm ...
esse sitio é-me conhecido...
o parque... lol...
bjtz

Pensamentos do João disse...

Raizes do pensamento,
a vida parece complicada,
mas nós humanos é que a complicamos,
vais ver que um dia destes ao virares da esqueina o sorriso estará mesmo ali é tua espera ;)
Um beijo eli ;)
tem um bom inicio de semana ;)
sorri ;)

mitro disse...

Bonito...

...Pedaços de Mim.. disse...

..sem palavras..fascinante!!!!,irei voltar pra te ler.bjinhos de"pedaços de mim".

Luís disse...

Bolas Eli, o que tu foste escrever! Posso mandar este poema a uma pessoa que nós dois sabemos?!:-)

Who disse...

Ao virar da esquina queria ver-te a ti, como um floco de neve sobrevoando os ares gelados...

Corvo Negro disse...

Gostei da tua foto.
Gostei das tuas palavras azuis.
Gostei de o saber!
:)

Tacitus disse...

Empolgante poema, deliciei-me ao lê-lo...boa semana para ti ;)

amigona disse...

Que linda imagem! Que bonita a poesia!

Dani disse...

Ai o que esta Primavera anda a fazer aos corações... :)

Dani disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Dani disse...

E... PUUUUFFFF!!!

...foi-se!

Apeles_E disse...

este foi bonito e especial. *

Who disse...

Queria ver-te a ti, e não à imaginação... Tudo tem o seu ser...

Salvador disse...

incrivelmente maravilhoso...

bjs

alice disse...

querida eli

estás nos açores?

em que ilha?

eu conheço são miguel, o faial e o pico, são lindas, todas...

invejo-te!

beijinhos,

alice

canela_e_jasmim disse...

Obrigada. :)

Clife disse...

Por vezes queremos tanta coisa quando afinal e lá no fundo uma bastava.

(: *

carla disse...

"Quero
o teu verso
à míngua,
teus fragmentos
de infinitos,
a dilacerante
melancolia
de tuas marés
em tácito
silêncio.
Quero
a navalha
do teu desejo,
na minha carne viva,
em brasa ardendo.
Óbvio
ou absurdo,
náufrago de mim,
eu te quero
inteiro.
Pois,
onde faltas,
eu transbordo
e onde deserto,
tu me habitas."

Lindo Eli,muito sentido...ele sabe-o de certeza...
;)

Sea disse...

:)

Kalinka disse...

ELI
Cá estou, radiante por poder ler a tua poesia, escreves tão bem e dou-te também os Parabéns pela bela foto da tua autoria.
Fico fascinada ao ler-te, quem me dera ter assim talento para poder escrever algo bonito também.
Quero agradecer a tua visita ao meu cantinho e as palavras simpáticas que lá deixaste.

Gostei:
Quero que gráficos de barras
Sejam baixos em estatísticas de desilusão...

Beijo de carinho.

lena disse...

belo Eli !

e espera sim

e claro que te sentem e bem

os teus poemas são sempre cheios de emoção e tão lindos, doce menina

beijinhos para ti

lena

Who disse...

Às vezes queria que apenas me fosse gritado um “não”, em vez de sempre mo sussurrarem, sem saber ou não...
Perguntas e dúvidas, como estas daqui...

Amaral disse...

Perfeito. Quando gosto dum poema não sei o que dizer dele. A poesia não é para comentar, é, sim, para apreciar e sentir… Perguntas no título e respondes com o "sei" final…

Pipas disse...

A distancia por vezes tem o dom de nos fazer sentir aquilo que jamais pensamos ser possivel.
É lindo o que escreves,como tens razão.
Beijinhos.

Nilson Barcelli disse...

Já li mais.
Continuo a achar o que já te disse, ou seja, escreves muito bem.
Beijos.

Nilson Barcelli disse...

Já li mais.
Continuo a achar o que já te disse, ou seja, escreves muito bem.
Beijos.

Daniel Aladiah disse...

Querida Eli
A esperança não morre, mas acreditar numa ilusão pode não nos deixar ver a felicidade...
Um beijo
Daniel

antonior disse...

Eli!

Belo, profundo e bem construído!

O exercício da vida vai apurando a expressão do sentir, não é?

Beijinhos
:-)

Piolha electrica disse...

eu keria tanto tanto dar te um abraço!!!
***

Martuxa disse...

Eu queria..........
Sorrisos e beijos

Nilson Barcelli disse...

Já li mais.
No princípio, no meio e o que faltava do fim.
Deixei, aqui e ali, nem sempre, um sorriso para ti.
Algures, disse-te que mesmo na prosa continuas poeta. Que a poesia te ferve no sangue.
Dizia-te mais coisas agora, mas temo não ser levado a sério. Acho que as vou escrever e guardá-las dentro de um envelope lacrado. No máximo daqui a 10 anos vou abri-lo na tua frente e mostrar-te o que escrevi. Vais ver que está lá uma coisa importante que te aconteceu nesse período. Descansa, eu não sou bruxo, mas também não sou cego.
Beijos.

Magia disse...

Às vezes vale mais a incerteza que do que a certeza...
De outras vezes, é ao contrário...
A razão...?
Bom a razão acaba por falar sempre mais alto,
mas aquele olhar,
o nosso olhar que se perdeu por aí,
não obedece á razão...
quando chegar o momento...
ele virá...
e tu...
Bem...
tu sabes...!!!!

Deixo-te um beijo de...
Magia

GNM disse...

Será falta de inspiração?

almaqueabsorveaslagrimas disse...

Mas isso são quereres por direito que deviamos todos ter... ;)

beijo ***

antonior disse...

E aqui fica um sorriso, com amizade...
:-)

Beijinhos

Palavras Soltas disse...

Palavras para quê??

É mais um dos teus belissimos poemas cheios de emoção e sentimento!!!

Nelsinho disse...

Eu queria...

Ter recebido da Natureza o dom da poesia, sem sofrer ao escrever!

A tua poesia flui leve...leve, solta e linda!

Nelsinho

Nuno Filipe Silva disse...

Quero

:)

Um outro olhar disse...

muito bonito

...

do imaginar
ao querer
ao sentir

existe muito pelo meio

...

:)

online disse...

Eu queria...

Podes querer que queria:)))

Escreves bem demais... já não te consigo comentar:)


O beijo

Sea disse...

Uma boa semana :)

Klatuu o embuçado disse...

Belo poema!

alice disse...

querida eli,

só agora reparei que és de viseu

qualquer dia vou aí jantar contigo

tenho de pensar muito bem se escolho o cortiço ou a púcara...

que martírio!!! escolhe tu ;)

beijinhos,

alice

Corvo Negro disse...

...e quero ou gostava de o querer, que escrevas!

Magalhães disse...

Consegues ser mais conhecida que moi meme....
Bjs

Anónimo disse...

Best regards from NY! » »