Agora nem nómada, nem emigrante.


segunda-feira, junho 26, 2006

Dia

Foto de Eli na praia do Malhão (Alentejo) no Verão passado.
Aqui, na Terceira, a areia é escassa e escura.

Num daqueles dias em que abandono o meu lado racional, saindo quase de mim, para viver todas as emoções das quais sou capaz... existem momentos em que não me sinto particularmente igual aos outros dias. Parece que cada parte do sentir se transforma num sofrimento pela ausência e pela saudade. Quantas e quantas vezes os grãos de areia colaram na minha pele sem que eu desse conta... quantas vezes acariciaram-me os pés, enquanto eu só sentia a água debaixo deles... os olhos vislumbram as ondas e a ansiedade é mínima aos olhos de quem vive assim, não só porque aprendeu, mas porque gosta. E falar de gostar?! Sou eu, que passei a maior parte da minha vida a evitar conjugar esse verbo com destinatários para que não se banalizasse... quantos não me entendem, quando eu procurei apenas alguém que me entendesse como sou... Dá-me uma sensação de solidão, apenas porque exigi demais do meu lado emocional... e sei que ser sensível sem "escudo" é muito difícil em momentos assim. Mas o hoje passa e o amanhã será melhor, mesmo que seja difícil, tem que ser um de cada vez. Carpe Diem.
Eli
:)
P.S. Muito obrigada pelas visitas que me têm feito e peço desculpa por não as ter retribuído como merecem.

20 comentários:

little_blue_sheep disse...

:D

gostei da foto!

alice disse...

bom dia, eli ;)

bonito o teu post

um beijinho

alice

Salvador disse...

Bom dia amiga,e muito sensato o teu texto, parabens

bjs

Nelsinho disse...

Texto lindo Eli!

Adoraria conhecer os Açores ( e a Madeira também!)

Mas, ainda sem confirmação, estarei em Portugal mês que vem.

Nelsinho

Siamese Master disse...

Aceito as desculpas...

pensamentos do joão disse...

Olá Eli :)
Bela foto :)
Na solidão vivemos todos nós certas partes da vida,ora fica mos por lá ora saí mos para uma vida feliz,
posso dizer que a solidão por si só não presta já lá estive bastante tempo e sei do que falo,mas se aproveitares bem a solidão para meditares e encontrares a enrgia do teu ser dentro de ti e despertares para o mundo real,
aí sim a solidão passa de bicho de 7 cabeças para momentos perfeitos de harmonia,solidão não significa estar só,a solidão abrage muitos factos da vida,por exemplo aqui neste mundo não estás só,eu estou aqui ;)
Verás que essa solidão vai te elevar a bom porto eli ;)
Carpe diem ;)
um beijo eli :)
sorri bastante ;)

Betty Branco Martins disse...

Querida Eli

Como dizes e muito bem: "amanhã será um outro dia"

(a foto é de uma praia que eu conheço muito bem é um lugar místico, lindo)

Beijinhos

RPM disse...

força mulher....

vamos arriba!!!

abraço

RPM

Daniel Aladiah disse...

Querida Eli
Carpe diem... apesar de tudo.
Um beijo
Daniel

GK disse...

"Mas o hoje passa e o amanhã será melhor, mesmo que seja difícil, tem que ser um de cada vez. Carpe Diem."

Ainda bem que termina assim...

Felicidades.

xerxes disse...

Nice place, here...

Miguel... disse...

Os dias em que abandono o meu lado racional são os meus melhores dias...

MiguelGomes disse...

carpe diem...

relatosdeumruivo disse...

E eu é que te agradeço por escreveres coisas tão bonitas...
Um sorriso.

:)

Beatriz disse...

Pois é... a saudade, os momentos mornos de areias de quem gostávamos mas que se varreram e agora são escassas e escuras. O escudo dos (in)sensíveis, os que guardam e aguardam no silêncio inóspito de quem sente falta duma coisa perdida na barra do tempo. Acho que te compreendo...acho que sim.

Magia disse...

Hoje parece mesmo que vim aqui ler-me...

Beijos Eli...gosto sempre ods teus textos, sem execepção

Marcelo disse...

Xe! Que saudades de lá ir, mas já falta pouco. Todos os anos em Agosto não me escapa. Ainda me lembro qd quase ninguém conhecia a praia e podiamos lá estar horas sem ver mais ninguém. Pena a enchente de agora, mas enfim. Tá fixe a foto.

Clife disse...

A Eli no seu melhor... o viver do Carpe diem =)

:hug: *

Kalinka disse...

ELI
Que linda foto...e foste tu que a captaste c/a tua objectiva...
Ai, que saudades de te visitar, de te ler, mas estava impossibilitada, embora ainda não possa abusar, só 15 minutos de cada vez, no computador...
Mas, ADOREI parte deste teu texto, pareço eu mesma a falar de mim para mim, aqui passo a citar:
quantos não me entendem, quando eu procurei apenas alguém que me entendesse como sou... Dá-me uma sensação de solidão, apenas porque exigi demais do meu lado emocional... e sei que ser sensível sem "escudo" é muito difícil em momentos assim. Mas o hoje passa e o amanhã será melhor, mesmo que seja difícil, tem que ser um de cada vez.
TOMARA QUE ASSIM SEJA, como tu escreves ELI, vou tentar ser positiva e acreditar também...
Beijokas com carinho.

Apeles_E disse...

uma mistura de álvaro de campos com ricardo reis.