Agora nem nómada, nem emigrante.


quarta-feira, novembro 29, 2006

Partir



O que é que vos leva a pensar que um laço desculpa tudo?! Será que podemos tudo naqueles que nos fortalecem... se não são Deus, nem os tratamos como tal, não se deveriam sentir assim! Talvez me tivesse dado demasiado... talvez eu quisesse mais e mais... Há uns tantos que já assim agiram, mas assim se descobriram também!!! Um pedaço de azul na Terra e já acho que tudo vale a pena. Vale a pena não ver os dias apenas a espreitarem pela janela e condicionar o estado do tempo, esquecendo o Tempo... Será que me rendi às evidências?! Será que quero datas e a lutadora?! Perde pela confiança?! Perderá alguma coisa em confiar?! Estarão vocês tão minados que não saibam confiar mais?! As aprendizagens da escola da vida servirão para nos minar o futuro e fazer com que ele seja quase um beco sem saída?! Não é sem saída, mas não vos parece um beco?! Detesto prisões e enjaulei-me no Tempo... Não existem espaços limitativos, mas muitos longos ou curtos impossibilitam a posse da liberdade.

Eli

:)(:

P.S. Fotografia de Eli.

Está bem. A inspiração não acabou. Rendo-me a mais umas quantas linhas brutas de romantismo e escuridão doce. Por que não levar mais do que encontro?! Ainda não encontrei flores, mas vou levá-las também quando as encontrar. Vou deitar-me no campo e sentir o cheiro... profundo... e respirar suspirando. Alcançarei as estrelas e as suas faces e denominações... Astronomia do Amor... O Oceano não consegue espelhar todo o céu e eu não sinto toda a música... que incompleto é o Ser Humano... que imperfeita sou e... feliz! As memórias treparão acima das letras e uma lupa verá Marte como o planeta do homem. Vénus será uma mulher nunca vislumbrada pela Lua e... possuirão a Terra.

Vou dançar ao luar

E rodar, rodar, rodar...

Shiu... Soprar

Beijar-te quando gear

Abraçar, Shiu

Vou ver-te voar

Vou levar-te a viajar

Volver Vaguear Voltar

Shiu...

Rodar.

Partir

Desculpa as horas que perdi sem investir.

Desculpa uma promessa por cumprir.

Desculpa nunca prometer.

Desculpa a ânsia de ler...

Desculpa sem abandono.

Desculpa o contrário do sono.

Desculpa a necessidade.

Desculpa a seriedade.

Desculpa...

Tenho de me encontrar.

Tenho que te encontrar

Temos...

(::)

Eli

11 comentários:

Nelsinho disse...

Que bom que desta vez fui o primeiro a comentar (não sei se a ler)!

Tenho andado meio assim, assim...
Mas isso passa!

Beijo
Nelsinho

Clife disse...

É bom ler-te assim... sim é, faz-me sorrir.

Beijinhos,
& um abraço!

Salvador disse...

Simplesmente fantastico

bjs

Ana P. disse...

Querida,
Não sabemos quando vamos morrer, nem como, mas podemos escolher como vamos viver, agora.

Beijos

Daniel Aladiah disse...

Querida Eli
Um grande esforço... será? Mas o amor vale sempre a pena e não será necessariamente uma prisão. E vale para o nosso amor próprio.
Um beijo
João

André Ferreira disse...

O tempo das evidências ainda está para vir num dia qualquer do futuro do passado ou do presente, sempre ausente na memória dos que desejam mais.
Beijos

Santinha disse...

Partir....
Eu já vou...
Só falta um bocadinho assim...

Beijokas

Cristina disse...

Ainda bem que sorris
:)
beijinhu

relatosdeumruivo disse...

Mágica. És mágica.

mfc disse...

O Amor é darmos um sorriso ao outro... e tu deste!

Nilson Barcelli disse...

Gostei de te ler. Na prosa e na poesia.
Ainda bem que estás feliz, no início do texto não me parecia...
Bom fim-de-semana.
Beijos.