Agora nem nómada, nem emigrante.


quarta-feira, março 26, 2008

Equilíbrio


:)

Já tinha guardado esta imagem há algum tempo, tanto que perdi a sua fonte. Encontro-me numa dança que não pára, mas que também não avança, pois os voos maiores só se dão com um grande balanço. No entanto, sinto uma força incrível. Resolvi colocar mais vezes em prática o meu lado mais humano e sensível. Até agora só conquistei, não perdi, se bem que quando se dá, investe-se!!! Se houver alguma perda, nunca é significativa se não depender de nós a sua recuperação. Quanto menos esperamos, mais felizes somos com o que recebemos, que não dependa de nós. Nem sempre o mérito nos traz o que desejamos.

Um passo para o lado.

Sorrisos e muito amor... uma ténue imagem revela o meu futuro próximo através de um plano que não fiz, mas, mesmo assim, revelou uma grande vontade de existir por si mesmo! Ainda que me revele sempre enigmática, encontro-me nas leituras de sons, cheiros, palavras e olhares. O toque é substancialmente bebido em cada poro. Uma mágica aventura entrega-me as premissas de um fervilhar que anseio. Aquela que se chama vida e que amo acima de tudo, cada vez com mais motivação e expectativa, que não depende apenas da minha personalidade, nem de ser a primeira, mas de viver com sentido de humor com uma força inacreditável que mesmo quem não me conhece pode sentir.

:)

Eli

:))

3 comentários:

Amaral disse...

Amas a Vida, porque A estás a descobrir, na Sua plenitude e na Sua simplicidade...
Fico feliz, porque A sentes de uma forma singular - aquela que reconheces e te deixa com essa força especial...

alice disse...

sem dúvida querida eli, eu senti essa força humana que partilhas e agradeço. é bom vir ler-te ;) um grande beijinho.

José Miguel Gomes disse...

É bom chegar aqui e sair mais forte, obrigado :)

Fica bem,
Miguel