Agora nem nómada, nem emigrante.


terça-feira, fevereiro 09, 2010

És.

Imagem daqui

Deixa que as linhas do teu rosto permaneçam imaginárias enquanto te sonho dentro do meu peito. O cuidado que tenho em não te procurar faz com que te encontre nas palavras com uma voz que já está dentro de mim. Aquela surdez denunciar-me-á. O teu sorriso já brilha suspirando a minha inspiração.
Eli

:)

18 comentários:

Gonçalo disse...

Onde é que eu já vi este filme? Conheço-te tão bem que já começo a gostar das tuas entrelinhas :)

Um beijo fofo nessa testa delicada ;)

Eli disse...

Gonçalo

Filmes é mais no teu blogue. (lol)

Já dei conta que quando te sentes contextualizado, gostas bastante dos meus mistérios!

Conheces-me. É um facto, amigo.

:)

Daniel Silva (Lobinho) disse...

Lindo. É um dos poemas que simplesmente não comento sob pena de lhe perder a magia (não a diplomacia ou cortesia que roçam o fingimento e que, como sabes, detesto)e por isso me limito a aplaudir. Está de facto, belo. Já sentia vontade destes poemas :)

Ainda bem que gostaste do desafio manuscrito mas nao basta gostar. Talvez te falte um scanner e isso é a parte chata :( Chuif.

beijinhos

Anónimo disse...

Quase tão bom como a concretização e o dar feições a um rosto que outrora só fazia parte dos nossos sonhos e desejos (mais ou menos) secretos, é o antecipar da descoberta e do encontro com o portador de tal rosto que nos invade a mente, como se se insinuasse e nos incutisse a certeza de que existe mesmo.
'' O cuidado que tenho em não te procurar...''...
Procurar demais, com muita ânsia de encontrar, mas nem sempre com o melhor discernimento , quase sempre leva a que se encontre... mais uma desilusão.
Boa estadia, agora na cidade dos Arcebispos.
Desculpa-me a ignorância, mas preciso que me expliques o que é ''sotaque e ironia "baulábai"''.Baulábai é o nome de alguma tribo africana? :P
:-))

em_segredo

Eli disse...

Daniel (Lobinho)

É curioso como chamas poema às palavras que muitas vezes deixo aqui. Eu sei que tu escreves o que pensas e agradeço-te por isso.

Quanto à parte da digitalização, eu desenrasco-me... tal como em inúmeras outras situações.

:)

Eli disse...

em_segredo

Fiquei a pensar nesse "antecipar da descoberta" e vejo um lado positivo nessa parte do teu comentário. Na segunda parte, reduzes o sonho e a procura à desilusão. O que importa é que acredito. Acredita também, sim?!

:)

Natália Augusto disse...

Boa noite Eli

Amei este teu "post" por várias razões. A fotografia hipnotiza-nos de imediato,pois é uma verdadeira obra de arte.
As tuas palavras poéticas só reafirmam a minha ideia: és uma verdadeira poetisa! Pela mensagem poderosa, pelas imagens que sugeres, pelo que fica por dizer, mas que está lá nas entrelinhas.
No fundo, há sempre aquela voz especial eterna que ouvimos de tão bem que a conhecemos... falta apenas algo mais, certo?

Beijinhos doces

Eli disse...

Natália Augusto

Não sei bem como agradecer (novamente) as tuas palavras. Sinto-me verdadeiramente lisongeada. Aquilo que está ali (o post) também tem um grande significado para mim. São palavras sentidas e quando a alma se "mete ao barulho"...

:)

Daniel Silva (Lobinho) disse...

Eli,

Claro que são poemas. Espero que não entendas a poesia pela métrica! Ou pela rima. este teu post é um exemplo de que escreveste poesia. Mesmo que não te apercebas disso. Repito: a poesia não é rimar ou a métrica das palavras: isso é esforço ;)

Quanto à digitalização, já falámos sobre isso ;) Estás à vontade ;)

bjs

Sun Iou Miou disse...

Inspirando a tua inspiração.

Então partiste? Espero que chegues bem. As aterragens são manobras complicadas.

(Ando com muito trabalho e blogo pouco ultimamente. Isto num mês deverá passar.)

Richy disse...

Adorei o jogo de palavras, a sensualidade e o carinho escondidos, um conjunto de sentimentos e emoções que nos preenchem só de ler.
Muito bonito, o caminho que percorres.

Abraço.

Eli disse...

Daniel

Tem um sentido poético que transborda do coração. Isso está lá de facto. Eu sei que não tem a ver com rimas ou métricas. Quando tenho disso aqui é porque saiu assim mesmo e nem sei bem como!

É bom poder contar com o teu apoio.

:)

Obrigada.

Beijinho repenicado.

:)

Eli disse...

Sun Iou Miou

hmmm as partidas já fazem parte da minha vida há bastante tempo. Sabes, na altura em que não tiver que partir, vou estranhar. Talvez consiga desconstruir-me e reaprender tantas e tantas coisas intensas que existem fora das viagens!

Volta sempre que puderes e te apetecer!

:)

Eli disse...

Richy

Ena! Como é bom ler algo assim sobre a minha junção de palavras com sentidos nem sempre claros. Neste post está patente o sentimento profundo, por isso não posso deixar de concordar! Ah... e obrigada pelo que escreveste sobre o meu blogue, lá, no teu espaço.

O caminho nunca é só meu!

:)

Daniel Aladiah disse...

Querida Eli
Um regaço quente, às vezes imaginário, serve de apoio para voltar a sorrir... afinal não estamos sós.
Um beijo
Daniel

Eli disse...

Daniel Aladiah

Acreditas que todos os comentários que tenho recebido me fazem sorrir. Sinto que consegui transparecer-me tal como desejei...

(...)

:)

Nirvana disse...

Olá :))
Obrigada pela tua visita.
Já tinha passado aqui, mas a correr e isto não se lê a correr.
O meu comentário não vai ser diferente, mas queria ler com calma. Hoje consegui. Simplesmente Lindo!

Beijinhos

L.A disse...

Estou completamente fascinada pelos teus textos... tens post's lindos!