Agora nem nómada, nem emigrante.


terça-feira, outubro 12, 2010

Lápides



Ninguém quer falar da solidão. Todos fingem que ela não existe. Ainda hoje, ao telemóvel com uma amiga (sim, amiga, não conhecida ou colega ou outra coisa), deparámo-nos com uma situação deveras invulgar. Somos as duas (bem) sucedidas quer pessoal, quer profissionalmente e estávamos mais uma vez sozinhas... confinadas a umas paredes largas demais, até para mim, que cresci para os lados, tudo a que tinha direito.

Depois, os assuntos que nos assolam verdadeiramente têm que nos passar ao lado? Mas que falsas seríamos se não abordássemos cada tema com o direito que temos?!

Na verdade, estou bem. Não me estou a queixar do que tenho, do que sou. No entanto, as circunstâncias espaciais confinam-me a isto.

E... pela primeira vez na minha vida, pesquisei lápides no google. Ya. Não quero pena. Apenas pretendo continuar a falar das coisas.

Eli

7 comentários:

Gonçalo disse...

E vais continuar a falar das coisas. A liberdade somos nós que a construímos em relação à liberdade dos outros e eu dou-te permissão para crescermos da melhor forma e juntos!

Um abraço :)

Celisol disse...

Confesso que fiquei baralhada!
Fiquei sem perceber o que é que afinal pretendes sepultar.

PS sobre a tag: embora seja clichê, só a morte é que não tem solução - e ainda assim é só para os descrentes.

ana disse...

Pois eu acho que entendo muito bem o que dizes e o que sentes. É sempre proíbido falar daquilo que dói, quando na verdade é falando que se pode encontrar o caminho para a cura. Nem que não seja porque vai-se libertando a dor aos poucos, em vez de ela nos devorar numa avalanche e nos tirar a vontade de viver. Por isso, sim, fale-se de solidão, fale-se de vida, fale-se de dor, fale-se de morte... E o primeiro ser humano que nunca tenha sentido nada disto que atire a primeira pedra...

Daniel Silva (Lobinho) disse...

É o "silêncio e tanta gente" da Maria Gounoud. Há solidões da alma, e também as há assim. Em paisagens humanas feitas de... lápides??? Mas há magia nas sepulturas.

Poetic GIRL disse...

Eli falar é a única coisa que nos resta, que não existam temas tabus, que as pessoas não se escondam, que admitam que se sentem sós. Porque mesmo rodeados de gente podemos sentir a solidão, porque não falar dela? Fala minha querida, enquanto te ser permitido e quiseres falar... bjs

Anónimo disse...

Acabei de ler o teu post e , com motivo ou sem motivo para estar assim, sinto culpa por não ajudar a atenuar um pouco dessa solidão.
É complicado falar de solidão , mas também é complicado falar de medos , de falta de objectivos e de motivação , de comodismo, de inquietude,etc...
Essas são algumas das coisas que são complicadas para mim, e que fazem com que não ajude a preencher alguns dos teus momentos de solidão, acompanhando-te.
Desculpa!


em_segredo

Nilson Barcelli disse...

A solidão só existe se, quando sozinhos, não formos boa companhia de nós próprios.
Bom Domingo, beijos.