Agora nem nómada, nem emigrante.


quarta-feira, dezembro 01, 2010

Explicação

Imagem daqui

Não, não caso. Pensei eu naquele dia com todas as forças. E lembrei-me sempre daquela certeza que só eu sei quanto vale.

Ai e tal... não podes ser tão radical, diriam-me uns tantos sábios com quem me cruzo, mas fez tanto sentido aquela decisão, que se alguma vez a explicar em voz alta, compreenderão.

Se quero tanto que me entendam, por que não explico?!

Hoje, os meus alunos mostraram-me mais uma vez que eu tenho a capacidade de lhes esclarecer todas as dúvidas como se de magia se tratasse. Se tenho este jeito, poderia usá-lo sempre.

Mas, não. Eu preciso de me fechar tants vezes quantas as que me fizer sentir confortável.

Eli

6 comentários:

FM disse...

Eli, em primeiro agradecer o teu comentário. Não é exagero falar em mudar de casa, é a vontade que nós dá a todos e, quem sabe, será um impulso para o fazermos mais depressa ;)

Eu também digo, apesar da tenra idade, que casar nunca. E, no meu âmago, sei porque o não quero fazer e não acho necessário verbalizar as razões.

Se os teus alunos to dizem, acredita, porque é verdade ;)

Bom feriado.

FM disse...

Eli, gostaria muito de participar nesse encontro, mas Sintra não fica muito à mão...
Obrigado pela dica ;)

Anónimo disse...

Nem todas as decisões que nos dizem respeito devem, mesmo que possam, ser explicadas a terceiros.
Se tu sabes os senãos e os porquês da tua decisão, isso é o mais importante.
Há coisas que são e devem ser só nossas , sem termos de as explicar.
:))


em_segredo

Nilson Barcelli disse...

Há opções na vida que não vale a pena explicá-las. Principalmente porque são do foro íntimo e subjectivas.
Se queres um conselho, casa-te (só para contrariar...). Mas por amor...
Eu casei-me e sou feliz...
Querida amiga, boa semana.
Um beijo.

Sun Iou Miou disse...

Esclarecer as dúvidas dos alunos: não percas nunca essa magia.

Fragmentos Culturais disse...

... sem dúvida!
Um direito muito teu! Muito de cada ser...