Agora nem nómada, nem emigrante.


domingo, fevereiro 27, 2011

H #13

Quando acordei, olhei para aquele livro, metade escrito, metade por escrever. Abri-o e o papel caiu. Então, pensei, se ele quer que eu escreva no espaço branco, eu hei-de escrever. Se valerá de alguma coisa? Provavelmente, não. No entanto, já tinha feito tantas coisas que não chegaram a conclusão nenhuma...

Peguei na minha caneta preta. Preferia a tinta preta para escrever coisas minhas, coisas pessoais, coisas íntimas, coisas... escrever.

Não consegui. Comecei por rabiscar, rascunhar, riscar e, quando terminei, tudo se reumia a um H.

Ouvi baterem à porta. Vesti qualquer coisa e fui a correr abrir. Vi um desconhecido a transpirar.

D. : Bom dia, desculpe incomodá-la. Era só para lhe pedir a chave da cabine do gás para fazer as obras que a sua senhoria me pediu.

Eu : Ah.

Voltei-me, fui buscá-la e entreguei-lha.

Quando ele se foi embora, observei-o com atenção a afastar-se. Pareceu-me bastante atraente.

Eli

12 comentários:

Sus disse...

Hmm... vai trocar o H pelo D???
:)

Eli disse...

Sus

Fizeste-me rir!


:)

olhar disse...

seu blog é muito gostoso de ler!!

Estarei aqui mais e mais vezes!

beijos !

Bia

olhar disse...

Ah...te lendo mais, decidi te seguir!

Sinta-se em casa lá em meu OLHAR...onde só vale se OLHAR DENTRO DOS OLHOS!

mfc disse...

Sinais... são sempre sinais!!
Mas... e se fosse apenas o homem do gás natural??!!

Manuel Luis disse...

Confiou no homem do gás. Podia ter sido o principio de um assalto. Esta pode ser uma nova estratégia de trocar o "H" por um "D" de desconfiar.
A senhoria confia na Eli por ser uma extraordinária inclina.
Beijo

Eli disse...

olhar

Olá Bia!

Obrigada pela simpatia. Já fui lá ao seu canto dos olhares.

:)

Eli disse...

mfc

Que sinais?

Se fosse o homem do gás, não seria a mesma coisa?!

lol

:)

Eli disse...

Manuel Luis

Isto é uma história - ficção!

De qualquer forma, esta história não podia estar sempre a correr mal!

:)

nuvemdoce disse...

Oi Eli,

Consegui ler tudo e acredito que ele ainda volta, foi apenas tratar de assuntos do passado, afastar fantasmas e criar forças para abraçar um novo amor. Quando se perde alguém que se ama muito, o medo de voltar a contecer persiste e temos que nos libertar dessas correntes.

Olha, gostei desse olhar atrevido para a "bilha" do rapaz..ehehee...
uma porta se fecha, outra se abre..

Beijokas

Continua ..está bom demais!!...

Anónimo disse...

Afinal havia outro! :P
Será este o tal? Fica a dúvida.
:))

em_segredo

Eli disse...

nuvemdoce

Gostei muito de saber que andaste a ler por aqui e agradeço desde já.

A história só tem continuação por vossa causa!

:))


em segredo


Nunca sabemos quem é o tal, nem nas histórias!

:)