Agora nem nómada, nem emigrante.


quarta-feira, fevereiro 09, 2011

Isolada

Imagem de Eli

Não ouso ser uma princesa, nem sequer sonho ser raínha. Como seria possível complicar ainda mais as metades das músicas que me enviam?! Sem o preto e o branco, calco o cinzento e vislumbro o verde por momentos. Entes, coisas, sonhos... tudo povoa o meu tempo numa fé mais do que provável, certeira, certa. Emociono-me sem saberem. Deixo que os meus olhos sejam vistos de perto por lentes tentadoras. E os pensamentos ficam. Não fogem. Estão. Não sei bem o que faço, ou o que fazer. Mas, como disse uma amiga em tempos "não descartes nenhuma opção". Neste momento, não tenho nada, mas tudo sorri à minha passagem.

Eli

:)


11 comentários:

Gonçalo disse...

Este texto também poderia ser chamado:

"Uma multidão à procura do teu isolamento!"

Aquele beijinho *(tu sabes)

:P

Rafeiro Perfumado disse...

"tudo sorri à minha passagem". Eli Maria, tu tinhas prometido que não voltavas a fumar a alcatifa!

Poetic GIRL disse...

O que interessa é que passes! Haverá sempre alguém para quem a tua passagem seja importante, bjs

Me,myself & I! disse...

Ah,ah!
Ía dizer-te qualquer coisa mas li o comentário do Rafeiro e agora não consigo parar de rir!!!

mfc disse...

Que bonito!
Fiquei eu a sorrir agora!!

PS - Aquelas cadeiras são na Praça da Batalha no Porto.

Beijos

Eli disse...

Gonçalo : Não percebi o teu comentário, mas vou fingir que percebo que é para não teres que explicar! Assim, pareço culta! (lol)


Rafeiro : Desde quando eu achavas que eu seguia os teus conselhos?


Poetic Girl : E continuarei. Sempre.


Me,myself & I! : O Rafeiro é assim! Destabiliza isto tudo! (E nós gostamos!!!)


mfc : Que bom! Assim dá vontade de escrever mais!

:))))

Celisol disse...

Se tudo sorri à tua passagem, então eu cá acho que tens tudo!
Eu também sorri, ao passar hoje por aqui. :)

PauloSilva disse...

O filme "Remember Me" marca sempre :x

Gostei *

Eli disse...

Celisol

O "tudo" é tão relativo como a minha passagem... mas agradecemos o que temos, porque faz parte do que somos. Nunca vamos ter o tudo, mas podemos sê-lo!

:)


PauloSilva

E foi por razões absolutamente alheias ao filme, mas intrínsecas à minha pessoa/vivência.

:)

Anónimo disse...

Ainda bem que não ter nada não é sinónimo de também não ter a esperança e a vontade de vir a ter tudo , tudo o que realmente nos importa e faz felizes.
:))


em_segredo

Eli disse...

Em_segredo

Eu contento-me com o "pouco" que é tanto tanto!

:)