Agora nem nómada, nem emigrante.


domingo, dezembro 02, 2012

Não publicar

Talvez hoje, esta noite, haja aqui um ponto de viragem. Sempre escrevi neste blogue de uma forma misteriosa, que me caracterizou com a palavra enigmática vezes sem conta. Está na altura de mudar. Para começar, vou publicar aqui um texto escrito já há uns meses, mas que eu tinha decidido que ficaria apenas guardado nos rascunhos. Decidi ser explícita!





Gostava de poder escrever o teu nome aqui, sem chorar, sem medo de te magoar, sem medo de te perder. Dizer-te que o tempo investido em ti foi tão bom, foi como o despertar de uma alma. Foi um sonho renascido, pensando que entre o meu soluçar ainda poderia encontrar alguém íntegro, bom. Dizes-me que não me queres fazer sofrer, mas a cada afastamento que me provocas, é como se tivesse que estar a ser obrigada a ficar sozinha. Logo a seguir, dizes que me desejas felicidade... Mas, qual felicidade?! Qual?! Se não queres fazer parte dela. Pudera eu mandar no sentimento como me pediste, como me disseste para ser. Mas, sabes o que é que eu vejo? Vejo um homem cheio de medo de voltar a querer amar alguém. Eu não te vou consertar. Mas, gostaria que quisesses um dia voltar a sonhar e por que não comigo?! Será mesmo que nunca mais vais sentir nada igual assim?! Magoaste-me quando me disseste isto. Eu consegui controlar-me para não fazer pressão, mas é-me tão natural querer estar contigo, partilhar coisas contigo, sorrir contigo, que uma palavra dita no meio de um sorriso... nunca pensei que me deixasses assim, sem sequer ser tua amiga. Pronto, eu controlei insuficiente. Mas, se me pediste para ser como sou, se gostas da minha espontaneidade, por que raio me afastas só por eu ter dito uma piada bem disposta?! Fazes ideia de como passei o resto da tarde?! Posso não ter o teu amor, nem quereres o meu, mas pensei que o amigo estivesse lá, mesmo, mesmo e hoje pensei que te lembrasses uma vez que irias torcer por mim, que torcias por mim desde o dia em que disse que nunca tinha sido colocada em agosto. Estou cansada. Estou farta de lutar. Bem sei que Deus só nos dá as provações pelas quais conseguimos passar, mas fogo, custa-me deixar ao menos viver um amor?! Eu sei que tudo faria para o manter, para fazê-lo sobreviver...
Estou cansada de tudo. Ser nómada deixou de ter piada. Ser solteira também.

Eli

19 comentários:

Diamantino disse...

O amor só é lindo, quando encontramos alguém que nos transforme no melhor que podemos ser.

nikita disse...

Tocante este texto, consegui rever situações da vida que já vi(vi).

Por vezes, uns estão dispostos a tudo, outros ficam-se pelo receio e assim deixam de viver... conseguindo com que tenhamos também de aprender a viver de outra forma.

amiga da onça disse...

Lindo e sentido.
Beijinhos e bom fim de semana.

Viste o presente a sair?
Estavas no jantar?

Eli disse...

Diamantino

Este tipo de amor só funciona de for recíproco!

:)

Eli disse...

nikita

Foi por me rever nos textos de outros, que também resolvi publicar este! :)

Eli disse...

amiga da onça

Sim, estava no jantar! E ainda trocámos uns sorrisos... de relance! :)

amiga da onça disse...

Oh...agora faço um esforço para rever o teu rosto e não consigo...mas és a menina aqui da foto no blog, né?!
linda!
Beijinhos

Eli disse...

amiga da onça

Sou, mas confesso que durante o jantar passei despercebida, ficando mais no "mau canto", pois nem sequer conhecia os vossos blogues, à exeção de um, cujo autor esteve por perto, com quem conversei, assim como a sua acompanhante...

SuperSónica disse...

Fiquei sem palavras....

Marta disse...

É bom escrever e deixar marinar. Guardar as palavras e deixar arrefecer os sentimentos. Mais tarde, tudo nos parece diferente da altura em que as palavras foram escritas.

O amor faz parte da vida e sem ele, há sempre uma parte de nós que morre.

Jedi Master Atomic disse...

Ora bem, eis a minha lista de reparos:

1º Data nos posts, sim? lol
2º Quando se publica um texto grande, convém colocar parágrafos com quebras de linha se não torna-se dificil de ler :P


De resto, está fixe :P

Jedi Master Atomic disse...

Ah é verdade....belo piano de cauda :P

Eli disse...

SuperSónica

Não faz mal. :))

Eli disse...

Marta

Mas, eu não costumo fazer isso. Costumo escrever e publicar logo! A reflexão vem na mesma! :)

Eli disse...

Jedi Master Atomic

1º A data está lá. (Talvez devas rever a graduação dos óculos.) heheh

2º Vou pensar no teu caso.

3º Aprecio a frontalidade, se bem que fui "pior" no comentário que te fiz a insinuar que não levaste prendinha de Natal ao jantar! :P

Salteador de Momentos disse...

Não percebi.

Eli disse...

Salteador de Momentos

Queres que explique?

Dri disse...

:(

Eli disse...

Dri

Nada de tristezas! :O