Agora nem nómada, nem emigrante.


domingo, março 24, 2013

Atrás






Diz-me por que não esperaste por mim
Diz-me, por favor, preciso de uma razão
Preciso que me leves água ao coração

Diz-me com a tua voz tão ansiada
Com a ternura imaginada
Que me encontraste

Passaram-se tantos meses
Entre sonhos e teclas
Tu sabes...

Saberias, se me lesses
Mas, entretanto
Neste desaparecimento
Talvez morresses,
Pensei.

Não contive o choro... há um ano atrás
Entretanto, imaginei-te capaz
De discar o meu número
E me amar

Pedi muito?!

Como posso pedir menos
Se nesta história
Estávamos os dois prontos

(para amar)

Sim, mas quis o destino separar
Aquilo que a música uniu.

Eli


2 comentários:

Emilie disse...

Triste, mas muito bonito :)

Um beijinho*

MiniCris disse...

muito bom...embora um pouco triste :/