Agora nem nómada, nem emigrante.


terça-feira, julho 16, 2013

"O Jogo do Anjo"





«O meu primeiro impulso fora deitar-lhe fogo, mas faltou-me a coragem. Sentira toda a vida que as páginas que ia deixando ao passar faziam parte de mim. As pessoas normais trazem filhos ao mundo; nós, os romancistas, trazemos livros. Estamos condenados a perder a vida neles, embora quase nunca no-lo agradeçam. Estamos condenados a morrer nas suas páginas e às vezes até a deixar que sejam eles que acabem por nos tirar a vida.» (Página 399)

Carlos Ruiz Zafón


6 comentários:

Mary Brown disse...

Não conheço o livro, nem o autor. Beijinhos

Nelson Rocha disse...

Eli,

está na lista,


beijo,
NR

Eli disse...

Mary,

aconselho vivamente! :)

Eli disse...

NR

E que bem que está. Eu tenho a certeza que vais gostar muito.

:)

YellowMcGregor disse...

Engraçado. Estou a terminar a sua leitura e se houve passagem do livro que registei foi precisamente esta.

Com um ramo de :-)

Eli disse...

YellowMcGregor

Quando os livros fazem assim parte de nós, há muito ainda mais neles que uma breve passagem - que para mim foi esta, aquela! :)