Agora nem nómada, nem emigrante.


domingo, fevereiro 26, 2006

Medo


Eu não sei muito bem o que se passa com a imagem e com a inspiração...
Com o sorriso e com o sonho...
Mas, nem queria esta sensação...
Nem passar pelo incógnito medonho.

Revejo-me num passado semelhante
Assusta-me o meu olhar
Entras na minha vida de rompante
E... eu... tentei negar...
No entanto, sorrio e rio e... mar.
:)
Eli
:)

27 comentários:

isa xana disse...

«assusta-me o meu olhar»...

eu ainda so me entristeci com o meu olhar, mas qualquer dia tambem me devo aasustar


*

Eli disse...

Interpretações!

É engraçado como cada leitor tem o seu ponto de vista sobre o que escrevo!

:)

holeart disse...

tudo a negro... vou percebendo.... o tempoa juda... se houver dialogo...
..........tanto melhor

spartakus disse...

:bom dia. sem medo.

blue note disse...

Eli...

és muito bonita...

Beijo

omabeco disse...

Bom dia. Parei.

Legionaria disse...

O medo é o único cabrão na vida que não nos faz evoluir, para nenhum dos lados, nem para o mal, nem para bem, ou antes se faz, faz sempre da forma errada, sem que percebamos, sem que a nossa vontade nos pertença. Detesto o medo!!!

Corvo Negro disse...

poesia clássica e pura... muito bem!
Na imagem parece-me reconhecer um vulto, um fantasma... coberto de sombras que não pretendem ser sombrias!
vejo realmente o incógnito, mas, não precisa ser mesmo medonho... em vez disso... hummm...
Tens de contar aquilo que atinjes no mar.

online disse...

Gosto do que escreves!
Da forma como me levas nas tuas palavras...:)
Agora tens de me "aguentar" eu vou voltar:)

Beijo

Mendes Ferreira disse...

eu já não interpreto. nada. leio. e nado. e ando. de cá para lá. mas sem medo. dando-me. ao dia.


(agradeço a passagem...)

Luis Capucho disse...

Olá sou o Luís Capucho, trabalho em Nutricêutica e estou a tentar divulgar o meu blog, sejam bem-vindos.

Rui disse...

E há luz a fundo do túnel. Há esperança.

EROS disse...

O medo é das sensações mais primitivas do Homem, pode ser limitador mas, no ímpeto de o ultrapassar pode levar-nos a grandes feitos... A mim, em particular, é limitador porque assola-me o medo de perder a pessoa de quem eu gosto... Beijinho...

Rita disse...

bem giro...

alice disse...

olá,
é natural que cada um interprete de maneira diferente, um texto ou um poema é como um quadro, suscita imagens subjectivos, embora a pintura tenha o significado único da impressão digital do artista, é valioso originar discórdia, tal demonstra que não há indiferença
beijinho, alice

LUA disse...

Vim retribuir a visita e conhecer o teu cantinho, gostei muito de te ler...

Beijinho :)

Eli disse...

Ainda bem! Fico muito contente com isso! Afinal a minha escrita é comentada por isso mesmo, senão, seria um desperdício haver um livro de comentários!

:)

winterdarkness disse...

Gostei deste teu post e thanks pelas tuas palavras. Virei visitar-te de vez em quando! ;)

Eli disse...

O meu último comentário aqui era especificamente para responder à a alice, apesar de se enquadra num todo, por isso não referi nomes... mas uma vez que não apareceu logo após, acho que devia esta rectificação!

:)

AS disse...

Eli, bem pior que o medo é o medo de ter medo!...

Um beijo

butterfly disse...

Porquê ter medo?medo de um passado semelhante??não devemos ter medo,isso só vai amarrar as nossa mãos...e prender-nos a ele(não sou a pessoa indicada para falar nisto...)
De nada serve negar,apenas e enganas a ti própria,no final não servirá de nada...
Mais uma vez,tentei entender as tuas palavras,mais uma vez tive uma certa dificuldade :)
Beijinhos!!

Bitta disse...

Bom Carnaval... sem medo!

Clife disse...

Nem me fales de "medo"...

ele por vezes pode nos alertar do perigo, mas por outras vezes... faz-nos hesitar, errar.

Ainda bem que...

"No entanto, sorrio e rio
e... mar."

;) ***

Anónimo disse...

What a great site Breast augmentation nicki who makes ultracet vicodin tramadol versus ultracet

Gonçalo disse...

Há dois sentimentos no mundo: o medo e o amor. Se enveredaste nesta situação pelo medo, de certeza que o amor foi fugaz. Não limites o teu presente por medo do passado, abarca a experiência passada para cresceres mais facilmente com as oportunidades do presente e ama-te a ti e aos outros:)
Segui a tua pista, mas afinal percebi que era a pista para a imagem que tinha escolhido também para um dos meus textos, quando pensava que descobririra o texto "Tristeza". Mas encontrarei naturalmente...

Beijoca fofa*

Eli disse...

Preciso de te dizer que o que escrevi no meu blog, no passado, também teve um pouco de imaginação à mistura, pois misturaram-se os sonhos com a realidade quando passei à escrita, embora no caso deste post isso não tivesse acontecido.
Tudo "saiu" de mim, por isso, não deixarás de te encontrar com o meu "EU". No entanto, aqueles pensamentos passaram e hoje sou o resultado daquilo que fui, é certo, mas não sou já o que fui, muito menos sinto -actualmente- o que lês nesses poemas.

Nunca deixei de fazer o que quer que fosse por medo, mas, ao senti-lo, descobri até onde conseguia ser fria e racional.

Numa letra de Pedro Abrunhosa ... "Quem ama, tem medo de perder". Talvez sentisse algo que me ocupava a alma e tivesse medo?! Talvez mesmo, pois nos sentimentos sou muito difícil de interpretar, porém, transparente.

A pista era para "Tristeza". Existe, mas este também que tem uma imagem semelhante a uma que usaste, como já tinha constatado.

Leio com muita atenção tudo o que me escreves e, quando não faço referência na resposta, não significa que não a tenha valorizado. Poderá até acontecer o contrário e ter tido tanto significado, que sorri, mas nem respondi, pensando que conseguirás alcançar meu sorriso.

:)

Gonçalo disse...

:)

Alcançaste?;)