Agora nem nómada, nem emigrante.


quarta-feira, outubro 18, 2006

Não à (há) luz! (II)


Clareou. Olha, vê... afinal aqui dentro nem tudo é escuro. Há uma porta aberta.

Sabes que tens a força em ti. Toda a claridade que te faz fechar os olhos também te fará ver, olhar e observar a beleza dos cheiros com os olhos fechados!

Força!

:)

Imagem de Eli.

5 comentários:

Clife disse...

Olha um segundo post tão rápido, [olhando pos lados] hummm,

ninguém tá ver... [dando-te um abraço]

eiii xoooÔ!

lol

fotos cheias de magia! ^^

António disse...

Olá!
Estes dois posts estão bonitos mas a mensagem escrita é-me pouco acessível pois me parece muito intimista.

Beijinhos

Luzbel Guerrero disse...

Vim lhe deixar um beijo, mais o último post tinha um nome desses do tipo VADE RETRO; então vim neste outro, que soa pessoal para alguém, ou seja alheio para mim. Deixo então dois bjs.

PS: Se for para um homem, fala para ele que pode rejeita-lo

Luzbel Guerrero disse...

Não falava da minha VADE de "ad libitum", era só que a palavra "céu" me empurra para atrás.
Pode sim ficar os dois beijos, mais saiba que um deles tem a semente dum sonho não apto para menores de 18. Pode escolher.

Anónimo disse...

Esta forma de falar, de dizer as coisas é uma boa ajuda à pessoa que no post anterior pedia para a deixarem só, que não queria ver ninguém. É a melhor forma de mostrar que vale sempre a pena olhar em volta e ver a beleza das coisas pois é sempre possível encontrar um caminho e ser feliz com o que se tem ou como se é. E se calhar assim até se será mais feliz ao invés de querer à força algo que não se pode e achar que só se tiver isso é que será feliz. Muitas vezes é um engano.