Agora nem nómada, nem emigrante.


domingo, junho 24, 2007

Escapatória...


Olho para o lado e vejo uma escapatória possível. Um dia que é já noite e que a saída se avizinha. Anseio pelas palavras lidas através da imensidão e pelo sonho ser vivido durante um segundo. Entretanto, sensações, antíteses de festas, pó de pérola, são esmagados num só copo e entregues à sensação inimiga. Vislumbro um parágrafo de solidão entre tantas relíquias. Tributo à amizade. Missão cumprida. Há um meio de transporte que teima em voar por cima dos meus olhos e exibir-se para as objectivas digitais. Um suspiro. A melhor das hipóteses possíveis foi concluída. Prossigo. Não ficarei estagnada. Em cada proposta haverá uma nova lei de pegadas e descobrirei o que a vida me deixar verificar com as palmas.
Eli
:)
Palavras e foto de Eli!

8 comentários:

Daniel Aladiah disse...

Sim, é verdade... o instinto nos diz que a savana é grande... :)
Um beijo
Daniel

Paula disse...

há sempre novos horizontes...

mixtu disse...

... com as palmas
enigmo...
pensei nas mãos, no calos das mãos...

abrazo, miguita

susana - aveiro disse...

Olha... o bião que te vai trazer de volta:))))))

Clife disse...

=) e o tempo vai voando (e assim inicias e terminas cada viagem também voando)! Além, além... pra além!

[hug]*

Sei que existes disse...

Lindo post!
Beijinhos

Nilson Barcelli disse...

"...e descobrirei o que a vida me deixar verificar com as palmas."
Linda frase, gostei.
Continua... ficar parada é morrer.
Beijinhos.

PoesiaMGD disse...

Então descubra muitas coisas! Gostei!
Um abraço