Agora nem nómada, nem emigrante.


sexta-feira, fevereiro 08, 2008

Desabafos anarquistas

Pegadas para quê?! Para marcar um pouco de território?! Mas, não é para isso que servem estes desenhos no chão feitos pelos calcantes...
De que vale ser eu, se não me vêm como sou. Precisam-me tal como me esperam, mas não como o sou.
E, depois, sabendo quais as pausas que me magoam, são utilizadas sem entendimento... e uma noite ficarei sem dormir... pensar...
Plural?!
Conhece-me.
Não sou isso tudo, mesmo que nalguns dias me soou bem ouvi-lo de alguém tão importante. Não sou. Sou alguém diferente, estranha, especial, mas não sou essa que queres que seja.
Quero ser frágil e sentir mais em vez de... criar barreiras intransponíveis.

Eli

(Fotografia de Eli.)

11 comentários:

mixtu disse...

o ser alguém
o caminhar
deixar marcas

soltar

gritos

silêncios

amar

sorrir

pensar...

abrazo serrano

Amaral disse...

Ser diferente é, apenas, ser! Porque assim é tudo nesta vida! Diferente!
E o querer ser é a coisa mais importante. Escolher, desejar, optar!...

Ricardo disse...

quem não vê como és e porque nunca te olhou com olhos de ver, apenas quis imaginar como serías

Eli disse...

Ricardo,

talvez a imaginação seja mais aprazível que a realidade...

:)

Marco disse...

És diferente do quê, e para quem? Sinto que nem eu próprio me conheço a 100%, por isso saber quem é alguém, não passa de uma ilusão. Deves lutar por aquilo que tentas ser e fazer um esforço para ser alguém melhor. Gostei do blog. Beijinhos.

alice disse...

olá, eli :) então como estás? fiquei muito contente por te rever

e reler :)

beijinho

Gonçalo disse...

Continua a ser como és, com uma única condição, escolhe tudo aquilo que te completa, nada mais que isso...e pensa que tudo aquilo que te magoa, talvez não seja a melhor escolha para te completar...pensa nisto;)
Um beijinho grande para ti!

Rafeiro Perfumado disse...

Olhando para as pegadas, quase tenho vontade de te chamar de "cãopanheira"...

José Miguel Gomes disse...

As pegadas servem para seguirmos caminhos que traçamos antes de sabermos caminhar... Acho eu :)

Fica bem,
Miguel

Gonçalo disse...

Porque não materializas a saudade sentida e de uma só vez escreves um novo texto e abres mais um pouco do teu conceito de saudade? Só te dou ideias, sou mesmo uma grande idiota :P
Beijocas fofas**

mixtu disse...

anarquias...

desabafos..

sentires...

viveres...

abrazos serranos