Agora nem nómada, nem emigrante.


quarta-feira, julho 16, 2008

Intenso

Vou... até ti por entre os contornos das letras que atiro para as imagens desfocadas. A Música preenche o vazio que teimas em manter. Destapa essa névoa que não te permite ver-me com exactidão. Sou um precalço que reparaste brevemente e que te fez jorrar poesia animada. Não respiro. Há um momento longe de leitura de ti que me paralisa. Os parágrafos atabalhoados matam-me de ingenuidade e de desejo. Quero-te. Como te beijo se me prendes neste espaço?! Solta as amarras e arrebata tudo o que sentes em mim. Nunca quis a perfeição, mas quando me convidas a bebê-la contigo não encontro outro amor que queira experimentar. Sim...
Eli
:)
P.S. As alterações neste blogue consistem em respostas aos comentários. A grande novidade é que vou ser co-autora num livro elaborado a partir do Jogo das 12 Palavras. Para mais informações, consultem blogue do Eremita, ou esperar pelas minhas notícias!!!
Como sempre, salvo raras excepções, as palavras e as imagens são da minha autoria.

24 comentários:

Anónimo disse...

É o que procuramos...beber a perfeição do Amor...pura e verdadeira...
Obrigado pelas tuas palavras...foram sempre muito, muito especiais...

Co-Autora num livro...muitos Parabéns...mereces tudo de bom...

Beijinhos

Orpheu

Eli disse...

... saboreei cada palavra e digo claramente e, sem aqueles quase terríveis enigmatismos, que gosto de saber que as minhas palavras te foram assim tão especiais, pois foi assim que me senti ao escrevê-las.

Obrigada, Orpheu, pela inspiração.

:)

Daniel Aladiah disse...

Querida Eli
Mas será possível parar o desejo? Seja de amor, de escrever... no fundo, viver...
Um beijo
Daniel

Eli disse...

Daniel Aladiah

Se ele tiver a base nos sentimentos profundos alimentados e positivos, ninguém o quererá parar!!!

É possível travá-lo, mas não erradicá-lo, na minha opinião. Concordas?

:)

Daniel Aladiah disse...

Sim, concordo. Fica um rasto eterno que poderá nunca ser satisfeito, mas que existe...
Um beijo
Daniel

Eli disse...

Daniel

Penso que não devemos tentar sequer pará-los. Por vezes precisamos de os controlar, pois a nossa liberdade termina onde começa a do outro indivíduo.

:)

ηatalie αfonseca disse...

E quando há um beijo que nos prende....sentimo-nos assim...como tu o descreves! :P


Boa! Pelo Livro! :)))))

Eli disse...

natalie afonseca

Coom toda a certeza, selámos já muitos sentimentos com beijos sem nos darmos conta da sua dimensão...

:)

José Miguel Gomes disse...

Parabéns, fico contente :)

Fica bem,
Miguel

Talk Talk disse...

Parabéns pelo livro!

Beijinhos,
Ou então um sorriso :)

FB disse...

Quem conhece a sua ignorância revela a mais profunda sapiência. Quem ignora a sua ignorância vive na mais profunda ilusão.

Eli disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Eli disse...

José Miguel Gomes

Eu também :)

Obrigada!!!

Eli disse...

talk talk

Obrigada e sorrisos retribuídos!

:)

Eli disse...

fb

Viver na ilusão tem as suas vantagens, mas a minha visão realista abala-me a ignorância!

:)

Apenas eu disse...

Hummmmm
Bem isso é muito...
Já sabes por é sempre em frente e muita paz!!!

Eli disse...

Apenas eu (tu)

Será com certeza muito à frente quando realizar e não apenas imaginar. Obrigada.

:)

Nilson Barcelli disse...

Intensa é a tua excelente prosa poética deste post.

Bom fim de semana, beijinhos.

Eli disse...

Nilson Barcelli

Olá!

Obrigada por essa opinião!!!

E bom fim de semana também para ti.

Sorrisos em Alta disse...

Oi!
Espero que, entretanto, já respires.
Deixaste de respirar, porquê? Estavas com soluços?
;o)

Bjinhos

Eli disse...

Sorrisos

Claro que foram uns soluços psicológicos...

:)

girassol disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
girassol disse...

Olá Eli

Chegou aqui a tua ternura. Agradecemo-la, os dois. Porque aqui a ternura chegada só se para abraçar aos dois.

Um beijo para ti
Girassol e Antonior

Já agora, a propósito deste teu texto, sempre te digo que deves sim lutar por amores mas não tanto pelos que te não sejam concedidos, ou que te sejam vedados. Está muito bem essa de a tua liberdade acabar no limite da do outro. É esse o caminho. É esse o respeito devido aos que connosco partilham o mundo...
Há-de estar guardado para ti um amor maior como mereces. Tens tempo. TU ainda és uma menina...

Parabéns por essa participação como coautora numa publicação. Eu sei o que se sente. Depois passas para publicar sozinha que é outra dimensão, outro sentir dentro de TI.

VIVE A TUA FELICIDADE CONSTRUINDO-A.
"El camino se hay caminando..."

Girassol

Eli disse...

Girassol

Muito Obrigada a ambos pela mensagem. De certeza absoluta que não quero o que não é para mim. Quanto ao tempo, todos o temos, pois não sabemos até quando estamos limitados e quero viver no agora, nada mais.

:)