Agora nem nómada, nem emigrante.


terça-feira, outubro 27, 2009

Carta


Queria entregar-me àquelas palavras...
Às que conquistam com sabor
Às maiúsculas e sábias
Às que me relembram o amor
.
Mas, o beijo tardou
A música rebentou...
.
... o... o abraço...
.
Os relevos penetraram
... e o olhar sonhou
.
Entendam-me pouco
Para que permaneça
Desta forma ténue
Como a dança
... que me define
sem me desmistificar...
.
Embala-me de uma vez
Leva-me para esse patamar
Onde as cartas de amor
Me possam atormentar.
.
Eli
.
:)
(Foto de Eli.)

15 comentários:

Vieira Calado disse...

Cartas de amor...

quem as não tem

ou teve...

Beijinho

Lcego disse...

Oh Eli! que palavras e foto lindas! Beijinhos

Lcego disse...

Oh Eli! que palavras e foto lindas! Beijinhos

Fragmentos Betty Martins disse...

._______querida Eli





belíssimo poema_______"Onde as cartas de amor
Me possam atormentar"...



.




________///







beijO_______ternO
b.semana

Eli disse...

Vieira Calado

... e quem as terá?

Eli disse...

Lcego

Ainda que queiramos sempre mais, contantarmo-nos com o que temos... assim... palavras inspiradoras... é, sem dúvida, um alento!

:)

Eli disse...

Fragmentos Betty Martins

... de tormentos que nos abanam o coração!

:)

Anónimo disse...

como ja sabes...não sou apreciador de poemas...pois o "poeta é um Figidor..."(é uma piadinha)...xim...quero receber de novo cartas...quero ouvir de novo as palavras...quero ser atormentado por elas...AGR vamos falr de msn, ou msgs, pois essas são as novas cartas de uma geração que nunca soube o que eram cartas de amor...

Em@nuel Vicente

Eli disse...

Emanuel

Esse poema de Fernando Pessoa foi o único que memorizei até hoje, pois mal o li fez tanto sentido que nunca mais o esqueci.

Mas, um dia, repara que ele acaba por dizer, rimando, que ele escreve daquilo que sente...

Obrigada.

:)

Anónimo disse...

Mas que doce tormento,
Folhear, com mãos trémulas e coração palpitante,
Cartas que outrora falaram de um nobre sentimento.
Hoje, foi-se o sentimento,
Ficaram as cartas escritas à mão...
Mas que doce tormento...
Escrever...Ler...Mandar...Receber..
Cartas, simples cartas, que nos tocam no coração!
......
Epá!!! Gostei tanto do que aqui me saiu (caso raro!), fruto de uma inspiração imediatista, que vou fazer deste coment um post. :P
:-))

em_segredo

Rafael Castellar das Neves disse...

Como é bom "poder" entregar-se plenamente, cair de cabeça!!

Muito bom!!

Abraço,

Rafael

Eli disse...

em_segredo

Quando li o teu comentário fui-me surpreendendo e concluiste da melhor forma!

I'm waiting!

:)

Eli disse...

Rafael Castellar das Neves

Como é bom viver intensamente... como é bom sentir... como é bom viver!

:)

Nelsinho disse...

Belíssimo, Elinda!

O teu Blog está super atraente.
Estou numa batalha para tentar voltar com constância...

Bj

Eli disse...

Nelsinho

Sorrisos grandes! Há muitas pessoas que encontram um nome difrente para me chamar. O teu é muito simpático. Obrigada pelo carinho.

:)