Agora nem nómada, nem emigrante.


domingo, outubro 25, 2009


Uma vez, uma amiga disse-me...
"Aconteceu quando eu estava mesmo a perder a Fé".
Será que não me acontece porque eu não perco a Fé?
Os caminhos que me trazem a inspiração são mais pessoais do que deviam ser ou serei eu mais uma no meio de uma imensidão planeada?
Os precalços e as experiências que vivenciei são, sem qualquer dúvida, o que sou hoje e do qual tanto me orgulho.
Destino?!
Eu acredito, mas às vezes é tão difícil.
Basta ter acordado hoje desta forma e ter escrito de manhã para prever uma sombra.
:)
Eli

6 comentários:

Daniel Silva (Lobinho) disse...

A Fé está para além da razão e é por isso que a razao nao pode compreender a fé.

Gostei muito desta reflexão. :)

abraço amigo

Eli disse...

Daniel Silva

Ainda que por vezes não tenha força para mover as montanhas... vou reflectindo e agrada-me saber que alguém lê.

Obrigada.

:)

Anónimo disse...

Subscrevo a tua opinião sobre a existência do Destino. É tão difícil acreditar.
É-me muito mais facil acreditar em coincidências, acasos e afins, que, nalguns momentos da vida, se confundem com Destino.
:-))

em_segredo

Gonçalo disse...

Acredito na fé e na sua importância na vida humana, mas não sou muito apologista de que as coisas acontecem quando menos esperamos. Algumas terão de acontecer porque calhou, mas não acredito que haja uma relação causa-efeito entre a falta de fé e os melhores acontecimentos da vida. Quem ama, acredita!

:)


Adoro-te ****

Eli disse...

em_segredo

Sabes, ali não me referia exactamente ao Destino, mas quando li, também me pareceu!

Curioso esse olhar...

:)

Eli disse...

Gonçalo

Não precisamos de ser ou estar de uma determinada forma.

Basta deixarmos acontecer!

:)