Agora nem nómada, nem emigrante.


quinta-feira, novembro 26, 2009

...One


Anseio pelo crepitar da fogueira numa sala inexistente. Sonho com o brilho da lua numa paisagem que não vi. Inspiro. Leio. Preciso de... Enquanto isso. Respiro. Afogo-me nas gargalhadas e esqueço-me que não sei nadar. Torna-se fácil. Sabes, conduzir durante algum tempo ao som de espectativas fulminantes é, de facto, um abraço ao caminho. Uma imagem, um nome, um som, o sorriso e escolho viver cada pormenor para que a imensidão das cores do meu vestido se relacione com as pálpebras enquanto te leio.

Eli

:)

P.S. Imagem de Eli.

7 comentários:

Fatucha disse...

Eu indentifico- me com o sentimento de desejo que aqui escreves...

Anónimo disse...

Falas de sonhos, de desejos,de projectos a cumprir...
Já o poeta dizia, '' Eles não sabem que o sonho é uma constante da vida tão concreta e definida ...''.
Sonha, ambiciona, fantasia,...
:))

em_segredo

Eli disse...

Fatucha

Penso que isso é bom! Obrigada por o partilhares comigo.

:)

Eli disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Eli disse...

em_segredo

Sonhando escrevo e fantasiando ambiciono. Escrevendo te agradeço comentários tão especiais.

:)

Daniel Silva (Lobinho) disse...

"Sabes, conduzir durante algum tempo ao som de espectativas fulminantes é, de facto, um abraço ao caminho."

Enigmático... mas poético.

beijinhos amigos

Eli disse...

Daniel Silva

Estas duas facetas de uma mesma palavra...

:)