Agora nem nómada, nem emigrante.


sábado, fevereiro 06, 2010

Mesmo

Imagem daqui

Mesmo que as palavras não estejam lá escritas.
Mesmo que aquele número não seja o meu.
Mesmo que os destinos do curso não se leiam nas fitas.
Mesmo que a paixão não pertença a um Romeu.

Mesmo que os filmes não se façam de viagens e canções.
Mesmo que eu tenha desistido dos pontos fracos e emoções.
Mesmo que conduza levemente ao som das vozes conhecidas.
Mesmo que me devolvam parte das quantias estabelecidas.

Mesmo que o dia seja mais um.
Mesmo que a noite não me aconselhe lágrimas sem sabor.
Mesmo que esqueça o cheiro do tal perfume.

Mesmo assim, eu acredito no Amor.

Eli

:)

15 comentários:

Gonçalo disse...

Gostei da estrutura deste texto. Identifico-me com este género de textos que revelam que do cinzento pode-se fazer cor, iniciando com os motivos de tristeza para acabar em beleza com uma clara demonstração de força, coragem e confiança. Eu acredito muito em ti!

Mesmo!

Um beijinho para ti (na testa) *

:)

Eli disse...

Gonçalo

Antes de mais, obrigada pelo sentido das palavras que deixaste hoje no meu blogue. Eu preciso desta compreensão. Sabes que a concordância não é a minha ambição. Como tal, gosto que as minhas palavras sejam lidas e de alguma forma absorvidas para que dêem origem a comentários assim.

Sabes, gosto do que me têm escrito por aqui.

:)

S* disse...

Eu acredito imensamente no poder do verdadeiro amor.

Daniel Silva (Lobinho) disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Daniel Silva (Lobinho) disse...

Acreditar no Amor é acreditar na Pessoa Humana e não no nosso umbigo. Ao dizeres que acreditas no amor "mesmo que"... estás a permitir-te Viver com as dúvidas que só quem verdadeiramente vive, tem.

É uma Eli quase-nova esta que leio hoje :) Num poema lindo qual criança que embora perdida, sabe que um adulto lhe dará a mão. Pior é quando só acreditamos em nós e nos sentamos amuados ou confiantes nas encruzilhadas da vida. O banco do jardim pode estar só, mas mais vazios estão muitos bancos com pares de namorados...

Beijinhos amigos

Eli disse...

S*

Eu também. Nota-se!

:)

Eli disse...

Daniel Silva (Lobinho)

A primeira coisa que pensei quando li o teu comentário foi "que lindo"!

Deixaste-me palavras ternas e eu só te posso (voltar a) agradecer por isso.

O que importa agora é que me sinta preenchida comigo mesma.

De tanto acreditar e de tantas boas pessoas canalizarem energias positivas, criar-se-á uma conspiração para que aconteça.

:)

Fatucha disse...

Eli, é um texto de esperança, de acreditar SEMPRE no amor...muito bom. bjs :)

Natália Augusto disse...

OLÁ ELI,

temos poetisa que sabe e conhece bem o poder das palavras! Já sabia, por outros textos que já li da tua autoria.

Neste teu poema há sonho e realidade, imagens poéticas e sensíveis que traduzem emoções intensas, apaixonadas, autênticas.

O Amor afinal vence! E tu venes com ele!


Beijinhos

Anónimo disse...

Não deixes nunca de acreditar, nem mesmo nas vezes em que te vergues debaixo do peso da tomada de consciência de que muitos Romeus não sao mais do que sapos de 2 pernas( e muitaas Julietas não são mais do que bruxas camufladas com toneladas de maquilhagem).
Não deixes de acreditar, nem mesmo quando o coração se parece encher de tanta desilusão e descrença na existência dessa coisa rara a que chamamos Amor.
Gostei MESMO do que escreveste.
:-))

em_segredo

Parapeito disse...

:) muito bonito .
Só quem acredita ...consegue
Um abraço e brisas mansas para ti*

Eli disse...

Fatucha

Isso nós vemos para lá das lentes. Sim, nós de cá para aí, dentro dessa alma que se espelha no olhar. Muito obrigada pela tua força!

:)

Eli disse...

Natália Augusto

Mas que belos elogios me escreveste aqui. Sinto-me lisongeada. Vindos de ti têm também um significado literário e de entendedora! Muito obrigada!

:)

Eli disse...

em_segredo

E eu também gostei mesmo do que escreveste. Tu consegues ver sempre além. Tu lês com uma atenção especial. Agradeço-te por partilhares essas visões comigo!

:)

Eli disse...

Parapeito

Sim, dizem que está no acreditar essa capacidade de concretizar. Às vezes torna-se difícil quando já levámos tantas derrotas para casa, mas acho que a nossa (minha) base consiste em ver sempre o lado positivo e retirar de tudo aquela aprendizagem que só nos (me) torna mais forte(s). Obrigada.

:)