Agora nem nómada, nem emigrante.


sexta-feira, julho 23, 2010

De saída...

Imagem de Eli

Sentei-me aqui para voltar a falar de partidas. Para tentar exprimir o significado de empacotar algo que não se vê. Desliguei a televisão. Por vezes, uso a capacidade que tenho de carregar no botão e deixar de ser enganada por aquelas fantasias todas que só enganam quem quer acreditar em situações de meia-hora diária... que, esprimido nem isso dá. Que treta. Ando a usar muito esta palavra ultimamente. Treta. Parece que muitas pessoas só vivem em função de tretas.

Eli


4 comentários:

Poetic GIRL disse...

E as pessoas que só têm treta? Falam, falam mas na hora H nickles... bjs

Anónimo disse...

Se empacotar algo que se vê, pode ser bastante complicado , então, empacotar algo que não se vê , ui ui, deve ser quase impossível.
(que treta de frase que escrevi)
Tretas... Tretas estão por todo o lado.Viras-te, pumba, uma treta...
É verdade, muitas pessoas só vivem em função de tretas, por isso têm vidas de treta.
Chuta mas é as tretas e os treteiros que prejudicam e segue em frente.
:)


em_segredo

Parapeito disse...

:) até mesmo assim com as tretas...se tira qq proveito :)
Brisas doces para ti*****

Daniel Silva (Lobinho) disse...

Talvez a treta seja uma ilusão doce com um preço equacionado por quem o paga, como se preferisse isso à luta. Mas concedo que de vez em quando ha excessos de realidade que o homem nao aguenta. Daí a hermetizar-se me televisoes e tretas, vai um passo e uma vida...

nao vejo quase televisao, e precisamos sempre de nos reinventar