Agora nem nómada, nem emigrante.


terça-feira, julho 27, 2010

Suave


Só queria explicar qual é a sensação de um arrepio quando me sentes. Não consigo. Ainda bem. É algo tão meu, tão profundo, tão calmo... tão pacífico. A ansiedade foi repelida. Gosto de te saber por perto. As palavras entoam-se no meu cérebro. Tu, espelhas os meus olhos e estou a pensar em ti, na maior parte do tempo. O vento percorre-me a pele. Avisto uma possibilidade ténue, entre a linha da água e o cheiro da areia. Vamos ser cúmplices num gesto ou noutro. Vamos ser cúmplices. Vamos.

Eli

:)

P.S. Link de uma música que inspira...

8 comentários:

Poetic GIRL disse...

Adoro a sensação de cumplicidade com alguém, acho a forma mais intíma de partilha entre duas pessoas. bjs

Anónimo disse...

Cúmplices? Vê lá, não matem ninguém. lol
Nota-se um novo registo, um registo mais up, na escrita.
:)

em_segredo

sérgio figueiredo disse...

A cúmplicidade começa com as palavras, faladas, pensadas. Elas adornam as sensações, contagiadas pela observação, que convida ao gesto...

bj...nho

Fragmentos Culturais disse...

... mas que bom, sentir tuas palavras mais doces! Uma nova paz desceu em ti, apoiada na cumplicidades dos afectos :)

Bom fim-de-semana!
(o tema musical é lindooo! Adoro a voz de Damien Rice! Um excelente filme, 'Closer')

Parapeito disse...

:)) que bom quando se sente com a pele ...
Gostei
Brisas doces*********

Daniel Silva (Lobinho) disse...

Belíssimo. Como o marulhar de uma obda ou uma brisa que sopra, e onde ambas t~em uma liguangem propria que importa decifrar...

bjs. és indubitavelmente uma poeta

´7 disse...

Tudo é são suave que só a cumplicidade é que entende o que nos envolve...

O toque... é a ligação perfeita para se sentir um arrepio...
Só se sente quando se gosta realmente

Olga disse...

Aqui vejo paixão. Gostei!