Agora nem nómada, nem emigrante.


domingo, setembro 04, 2011

Mar

Imagem de Eli


Que bom quando ainda posso sonhar com um sorriso numa praia, um passeio sem objectivo, uma história por descobrir e rever ao mesmo tempo aquelas pegadas na areia, que dei, fortes e seguras. Parece pouco, parece um nada, ou até mesmo um vazio, mas um sorriso dará lugar a uma face com lábios sérios. Eu sei. Eu sinto.

:)

5 comentários:

Pedro Gaivota disse...

As fotos parecem-me iguais...
É caso para dizer: há MAR e MAR, há ir e SONHAR...

;)

mfc disse...

Então continua esse teu caminhar... sempre a sorrires!

Maria Teresa de Brum Fheliz Benedito disse...

Eli querida!
Gosto muito de passear por aqui,navegar pelo seu mar de poesia.
Lindo, muito lindo seu jeito de poetisar e falar do 'eu',gosto muito de vir aqui.
Um abraço e continue a caminhar.

Eli disse...

Pedro Gaivota

Estás a ver a dobrar?

(lol)


mfc

E se não sorrir, venho aqui para me mandares!



Maria Teresa de Brum Fheliz Benedito

Obrigada pelas palavras e pela partilha.

:)

Moi disse...

Eli,

O mar, não existe nada que me fascine mais!

E olhando-o nas tuas fotos, se por momentos fechar os olhos, sinto quase a brisa a beijar-me o rosto...


:)