Agora nem nómada, nem emigrante.


sábado, março 10, 2012

Voo



Vou ficar a saber sem caminhar daqui. Daqui a pouco. Sem presente, sem passado, um futuro tão breve, mas tão intenso, pele e pele... E os meus pensamentos maus serão traídos. Serei... pés, barriga e sorrisos, com cabelos despenteados, barba por fazer e tudo aquilo que nos unir. Coisas pequenas. Eu espero até que acabes de falar, aquilo que o universo conspirou. Como é bom poder ansiar-te. Dá-me as tuas mãos.

A cor deixará de ser cor. Só verei teus olhos no alcance... porque é assim que imagino o sentido de palavras ainda por escrever. Vou, mas não antes sem um adeus, breve. Voo, contigo.

Eli

:)

12 comentários:

mfc disse...

E o universo conspirará a favor... e tudo será lindo!

Nilson Barcelli disse...

O voo acompanhado tem mais cor, tem mais encanto.
Voei nas tuas palavras, encantado...
Eli, querida amiga, tem um bom domingo.
Beijos.

Eli disse...

mfc

...foi.

Eli disse...

Nilson Barcelli

Às vezes custa sair do ninho, mas há sempre que voltar!

:)

Buxexinhas disse...

E sabe tão bem abrir os braços à vida e... voar... :) Beijinhos :)

S* disse...

Esses voos as dois são os melhores.

Manuel Luis disse...

Algo difícil de comentar.
Deixo aqui o meu voto para que passes uma excelente semana.

Eli disse...

Buxexinhas

:)

Voa!

Eli disse...

S*

É melhor não ficar em terra!

:)

Eli disse...

Manuel Luís

Respeito a dificuldade e agradeço por teres comentado na mesma!

:)

vituu disse...

bonito =)

Eli disse...

vituu

Obrigada.

Regressaste.

:)