Agora nem nómada, nem emigrante.


quarta-feira, novembro 21, 2012

Atrás

 
Engulo em seco depois de não respirar em exercícios conjuntos. Para quê aguentar num treino de experiências que não nos leva a lado nenhum?! Não corro. Os sons parecem reconhecer-me a mente e ficam a sentir-me por instantes, num processo de reconhecimento para que as palavras sejam tão minhas quão gostaria que fossem. Páro. Encontro uma dança de guitarras com maiúsculas desaparecidas. Como eu precisava de uma verdade. Os sonhos cansaram-se de mim. Gastei-os a todos, confesso. Admito que ainda olho para trás, mas é só para ter a certeza que existiu, mesmo que seja um grito de quase três vezes. Olho lá bem fundo no passado, enquanto uma música me lembra a imaginação. Vejo Um e Outro Homem  e Outro e Outro. Apaixonaram-se por mim...

Eli

6 comentários:

Brown Eyes disse...

Tu apaixonaste-te por eles? Beijinhos

Dinha'' disse...

Bem, eu tenho temido mudar, Porque eu construí minha vida ao seu redor, Mas o tempo traz coragem; crianças envelhecem, Estou envelhecendo também.(sinopse do meu blog)
Acessa o meu blog?
"Crianças Envelhecem"

http://criancasenvelhecem.blogspot.com.br/

Espero a sua visita, se gostar do meu blog, segue lá, ficarei muito feliz.
Desde já obrigada, tenha uma ótima semana.
Atenciosamente Dinha.

Manuel Luis disse...

Aguenta sim mas sem correr, para só quando ouvires a canção de Coimbra naquelas escadas. Até que alguém fale ao teu ouvido, e as palavras misturarem-se com o som das guitarras.
Bj

Eli disse...

Brown Eyes

Sim, embora inexplicavelmente de uma forma muito ténue...

Eli disse...

Dinha"

Obrigada.

Eli disse...

Manuel Luis

Esse comentário foi mesmo certeiro para mim pelo que significa realmente. Agradeço muito. :)