Agora nem nómada, nem emigrante.


sexta-feira, dezembro 07, 2012

Preconceito alheio






Qualquer início, quando é comigo, está sempre condenado a correr mal. Não é que seja pessimista, nem que me sinta uma vítima das teclas do destino, avançado por sinal... Estou cansada de preconceitos e esteriótopos na cabeça das outras pessoas. Quando vejo pessoas a dizerem que uma mulher difícil é que tem valor e uma fácil é abandonada... mas o que é isto?! Para quê complicar?! Às vezes sinto-me mesmo única no meio de todo um branco, onde não há ninguém por perto.

Valoriza-me, mima-me, mas não me obrigues a distanciar-me. Às vezes fico com a sensação que não posso ser eu mesma, não me posso dar, tenho que ter um controlo qualquer que não entendo muito bem, mas sei que é cultural! Já aprendi isto há muito tempo. Será possível que há pessoas que nunca evoluem?!

Eu queria respirar fundo, bem do fundo da alma e acreditar, mas mais uma vez me vejo condenada à frustração. Eu gosto de mim, da minha companhia, mas quero experimentar a felicidade do companheirismo. Maldita paixão que se esfumaça sempre mais cedo... sem bem que continuará sempre a ser imprevisível!

Apetece-me dizer asneiras!

Eli

8 comentários:

Salteador de Momentos disse...

Está complicado, ou não. A solução parece-me simples.

Ana disse...

Essa história das mulheres difíceis serem mais valorizadas que as fáceis, só resulta mesmo na cabeça das que se "fazem" de difíceis. E meto o "fazem" entre aspas porque, na minha opinião, não existem mulheres difíceis, existem é mulheres mais interessadas e espontâneas que outras. Sempre detestei esses joguinhos do "quero, mas vou fingir que não quero assim tanto". E nunca me dei mal com isso.

Marta disse...

Aproveita, deita tudo cá para fora!

Eli disse...

Salteador de Momentos

Deve ser. Mas, há momentos mais complicados do que parecem. Certo?!

Eli disse...

Ana

A ideia é mesmo por aí... Mas, penso que para alguns nem valia a pena explicar! :)

Eli disse...

Marta

Ainda mais?!

hmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm :)

Salteador de Momentos disse...

Ser ou não complicado é sempre relativo. Mas eu sou levado a acreditar na tua sensatez.

Eli disse...

Salteador de Momentos

Mesmo isso. Agradeço a tua compreensão.